AÇÃO DECO PROTESTE

#ExijoForaDaCaixa

Contribua para a sustentabilidade deste Planeta

O excesso de embalagem dos produtos agrava o consumo de recursos naturais e gera mais desperdício. Vamos pressionar o Governo e trabalhar com as marcas para reduzir as embalagens desnecessárias.

Porquê acabar com o sobre-embalamento?

Diminuir a quantidade de resíduos

Vários produtos dispensam segundas embalagens, como a fruta, os legumes ou até mesmo a pasta de dentes. Ao evitarmos o excesso de embalagem, também conhecido como sobre-embalamento, estamos a reduzir a quantidade de resíduos.

Preservar o ambiente

Ao reduzirmos a quantidade de embalagens, estamos a preservar os ecossistemas e os recursos naturais que seriam usados para produzir matérias-primas como o papel, o plástico ou o metal. Logo, estamos a contribuir diretamente para a preservação do planeta.

Reduzir custos

Quanto menos embalagem, menos espaço o produto ocupa no camião de transporte ou no armazém. Isto pode contribuir para reduzir os custos do produto da origem até à venda. Estes ganhos devem refletir-se no preço de venda Além disso, haverá uma redução do impacto ambiental associado ao transporte.

Excesso de embalagem nos produtos: exija fora da caixa

Fomos às compras e mostramos em vídeo as embalagens que foram logo para o lixo.

1050 toneladas de embalagens desnecessárias - o peso de 175 elefantes

É o que vamos ter se todas as famílias portuguesas comprarem, pelo menos uma vez, um cabaz com produtos sobre-embalados. Trata-se de uma estimativa conservadora, pois vamos às compras várias vezes por mês e muitos produtos têm excesso de embalagem.

  • O cartão que envolve a embalagem de plástico do protetor solar é desnecessário.

  • O cartão que envolve o roll-on de plástico do desodorizante é desnecessário.

  • A embalagem de cartão que envolve o tubo de plástico da pasta de dentes é desnecessária.

  • O cartão que envolve a embalagem de plástico do champô é desnecessário.

  • A embalagem de cartão e de plástico que envolve os auriculares é excessivamente grande.

  • O cartão que envolve a garrafa plástica do molho é desnecessário.

  • A embalagem individual que envolve cada saqueta é desnecessária

  • O cartão que envolve a embalagem de plástico da loção corporal é desnecessário

  • A embalagem de plástico que envolve o livro é desnecessária.

  • O cartão que envolve a lata de conserva é desnecessário.

  • A embalagem de esferovite e plástico é desnecessária.

  • O cartão que envolve as embalagens de iogurte é desnecessário.

  • A embalagem de esferovite e plástico é desnecessária.

Mostre ao Governo que apoia esta causa! Partilhe connosco os casos de sobre-embalamento que encontra nas compras do dia-a-dia.

Fotografe produtos com excesso de embalagem e envie-nos a imagem, para avaliarmos se é mesmo sobre-embalado. Estes exemplos facilitarão o trabalho de construir novas soluções com as marcas e poderão ser incluídos como novas categorias nesta campanha.

Maus exemplos que os consumidores já partilharam connosco

  • Pastilhas Trident

    Invólucro de plástico individual em cada pacote.

  • Cola Pattex Repair Extreme

    Embalagem de cartão com proteção de plástico.

  • Pack de 3 pacotes de sumo de 200 ml, da Compal

    Invólucro de plástico a envolver os três pacotes.

  • Pack de 3 latas de feijão encarnado, da Bounduelle

    Manga de cartão a envolver o pack.

  • Bolachas My Cookie!, da Nacional

    Caixa de plástico para manter as bolachas direitas.

  • Bolachas Glutén Free, da Gúllon

    Pacote de cartão, conjugado com pacote de plástico.

  • Pack de 2 de bolachas Crackers

    Invólucro de plástico a unir os dois pacotes.

  • Saco de limões

    Invólucro de serapilheira a juntar as unidades.

  • Pasta de dentes Max White, da Colgate

    Caixa de plástico a proteger o produto.

  • Couve embalada

    Plástico a envolver o produto.

  • Arroz Risotto, marca Gallo

    Caixa de cartão a proteger a caixa de plástico.

  • Azeite Virgem Extra em spray Q.B., da Oliveira da Serra

    Rótulo feito de plástico.

  • Salsichas Hot Dog, da Nobre

    Rótulo de plástico a envolver o frasco de vidro.

  • Vinho Lancers

    Rótulo em plástico a envolver a garrafa.

  • Azeite de Rosmaninho

    Garrafa vendida com caixa de cartão.

  • Moscatel Ermelinda Freitas

    Garrafa protegida por caixa de cartão.

  • Vinho Dona Antónia Reserva Tawny

    Caixa a proteger a garrafa.

10 soluções para mudar o mercado

  • Trabalhar com as marcas para que otimizem

    a forma como incluem a informação obrigatória no seu produto. Por exemplo, colocar essa informação na embalagem primária ou em rótulos desdobráveis colados a ela.

  • Vamos exigir que se elimine o embalamento de frutas e vegetais frescos,

    sempre que possível, para diminuir os resíduos e evitar o desperdício.

  • Otimizar os produtos em embalagens grupadas ou multipack (como iogurtes ou bebidas),

    criando ligações mínimas entre cada embalagem individual, de modo a reduzir a quantidade de plástico ou cartão.

  • Eliminar a utilização de embalagens secundárias

    em produtos em que não há qualquer valor acrescentado.

  • Banir progressivamente as embalagens que recorram ao uso de diferentes tipos de materiais

    (por exemplo, embalagens que misturam plástico e papel, como as pen drives e fones). Os produtores deverão optar por embalagens feitas de apenas um material, para facilitar a sua reciclagem.

  • Uniformizar o tipo de embalagens colocadas no mercado,

    cumprindo as normas de ecodesign definidas para cada tipo de produto, de modo a assegurar que não são usados materiais com impacto negativo na triagem e reciclagem.

  • Adaptar a capacidade de embalagem à quantidade/volume de produto embalado,

    exceto nas situações em que, de forma comprovada, seja necessária uma embalagem extra para efeitos de conservação.

  • Possibilitar a venda a granel de produtos sem necessidades especiais de conservação

    (por exemplo, produtos de limpeza e alimentos como café em grão e leguminosas secas).

  • Promover a reutilização de embalagens secundárias e terciárias

    ao nível do transporte e armazenamento, sempre que for possível.

  • Definir limites mínimos para incorporar material reciclado na produção de embalagens,

    exceto quando a conservação do produto não o permita.