Notícias

Quanto pode poupar com medicamentos genéricos

Fizemos as contas e, no caso de alguns doentes com epilepsia, a poupança pode chegar aos € 448 anuais. Além de mais baratos, os medicamentos genéricos mantêm a qualidade e a segurança dos de marca.

26 janeiro 2018
poupar na farmacia

Thinkstock

No geral, os medicamentos genéricos são 20% a 35% mais baratos do que o medicamento de marca que lhes serve de referência. A diferença de preço permite aos utentes uma poupança anual entre € 55 e € 448, sem comprometer a qualidade e a segurança.

Para ver se um grupo de medicamentos tem genéricos, comparar preços e calcular as economias possíveis em medicamentos que costuma tomar, veja o nosso simulador . Pode pesquisar pelo princípio ativo ou pela marca, verificar se há alternativa genérica equivalente e ver a listagem dos medicamentos ordenados do mais barato ao mais caro. 

Consultar simulador de medicamentos

Fizemos as contas para três medicamentos usados no tratamento de problemas como colesterol, depressãoepilepsia, tendo como referência os preços do regime geral de comparticipação. No caso do colesterol, optar pelo genérico com a substância ativa sinvastatina permite uma poupança de 54,72 euros. A atorvastatina genérico é outra opção e a poupança pode chegar aos 75,90 euros.

Com o genérico escitalopram, para a depressão, é possível poupar 272,70 euros. Se optar pela pregabalina genérico, a poupança chega aos € 448, no caso de alguns doentes com epilepsia. 

 

Quanto poupa com os medicamentos genéricos 

poupar na farmacia

Os valores comparados referem-se a preços de dezembro de 2017, por embalagem, com a comparticipação incluída.

 

Genéricos são eficazes e seguros

Um genérico é um medicamento com a mesma substância ativa, na mesma dose e igual forma farmacêutica (comprimidos, cápsulas, xaropes, etc.) de um fármaco de marca.

Para estar no mercado, o fabricante teve de apresentar estudos de bioequivalência, ou seja, teve de comprovar que o genérico em causa é absorvido pelo organismo em quantidade e velocidade similares às do produto de referência, o que garante um efeito equivalente. As substâncias ativas dos genéricos são utilizadas há muitos anos, pelo que a eficácia e a segurança estão bem estudadas e garantidas.

Este ano, prevê-se a entrada no mercado de mais medicamentos genéricos, como a rosuvastatina, utilizada em caso de colesterol elevado.

Escolha do medicamento indicada na receita

Quando é necessária receita médica para comprar a medicação, o melhor é falar com o médico sobre as possibilidades de substituição do medicamento por um mais barato. O médico pode impedir, na receita, a substituição do medicamento por um genérico, por exemplo, com a justificação de que a medicação destina-se a assegurar a continuidade de um tratamento por mais de 28 dias. Mesmo assim, o utente pode escolher um medicamento mais barato. No caso de não ser necessário receita, verifique se há alternativas a preço mais baixo na farmácia.

As embalagens de genéricos têm a sigla “MG” inscrita, que significa medicamento genérico. Por norma, é um medicamento vendido com o nome da substância ativa (por exemplo, paracetamol), seguido do laboratório.


Imprimir Enviar por e-mail