Notícias

Farmácias mais caras nos medicamentos de venda livre e produtos de higiene

27 novembro 2013

27 novembro 2013

Antes de comprar medicamentos não sujeitos a receita ou artigos de cuidados pessoais, compare preços em diversos pontos de venda. O estudo da TESTE SAÚDE encontrou diferenças de 80% ou mais num mesmo produto.

Comparar preços pode valer-lhe algumas poupanças na altura de abastecer a sua farmácia caseira. A TESTE SAÚDE comparou o custo de 25 medicamentos não sujeitos a receita médica e de 12 artigos de cuidados pessoais em 300 estabelecimentos de todo o País e concluiu que é possível encontrar diferenças de 80% ou mais num mesmo produto, em função do ponto de venda. Descubra o estabelecimento mais barato perto de si.

Se tiver de comprar um analgésico ou um xarope para a tosse, em princípio, compensa mais fazê-lo nos espaços de saúde dos hipermercados. O estudo da TESTE SAÚDE revela que, no caso dos medicamentos não sujeitos a receita médica obrigatória, estes estabelecimentos cobram, em média, 10% menos do que as farmácias. O Jumbo é, em regra, o hipermercado mais amigo da carteira, cobrando cerca de 19% menos para esta categoria de produtos do que o El Corte Inglés, o mais caro do estudo.

Já nos produtos de cuidados pessoais, como cremes para a vermelhidão do rosto, desinfetantes íntimos, champôs antipiolhos e fixadores de próteses dentárias, as farmácias são cerca de 4% mais caras, em média, do que as parafarmácias. Regra geral, as parafarmácias são o canal de distribuição mais barato para esta categoria.

Mas as diferenças não se encontram apenas entre hipermercados, farmácias ou parafarmácias. Dentro de um mesmo canal de distribuição, há variações de preços significativas. Por exemplo, enquanto a Farmácia Fórum, em Coimbra, cobra 4,25 euros por uma bisnaga de pomada Halibut, para prevenir as assaduras no rabinho dos bebés, a Farmácia Internacional, em Lisboa, pede 7,99 euros, ou seja, 88% mais.

Entre distritos, Castelo Branco é o campeão dos preços baixos. Já Lisboa, Porto e Faro situam-se entre os distritos mais caros.


Imprimir Enviar por e-mail