Dossiês

Deixar de fumar com medicamentos e outras estratégias

17 novembro 2020
deixar fumar

Exercício físico, alimentação equilibrada e autocontrolo são algumas das chaves para conseguir deixar de fumar. Mas há medicamentos que podem ajudar. Conheça as estratégias para ser bem-sucedido.

Teste o grau de dependência

Responda às questões e aponte a pontuação correspondente para aferir o seu nível de dependência.

Faça as contas e veja o resultado.

Dependência muito forte (10 e 9)
A motivação é um fator determinante para deixar de fumar, mas a avaliação e o acompanhamento médico numa consulta de desabituação tabágica também podem ajudar muito. Mascar gomas, chupar pastilhas, usar um adesivo de nicotina ou fazer uma pulverização bucal permitem controlar os sintomas de abstinência do cigarro. O médico também poderá prescrever medicamentos que o ajudam a deixar de fumar.

Dependência forte (8 e 7)
Alimente a vontade de deixar de fumar e altere alguns hábitos associados ao consumo do tabaco (reduzir o café, o álcool e evitar locais com fumo) e procure apoio profissional. O acompanhamento e tratamento médico são individualizados. Os substitutos de nicotina ajudam a controlar os sintomas causados pela falta do cigarro, mas a motivação para deixar de fumar é essencial.

Dependência média (6 e 5)
O seu grau de dependência está associado a fatores comportamentais (psicológicos) e apresenta alguns indícios de dependência física. Além de uma mudança de hábitos quotidianos associados ao consumo do tabaco (reduzir o café, o álcool e evitar locais com fumo) e alguma força de vontade, poderá necessitar de apoio profissional.

Não ou pouco dependente (4 a 0)
O seu grau de dependência está sobretudo associado a fatores comportamentais (psicológicos). Com a mudança de alguns hábitos do quotidiano associados ao consumo do tabaco (reduzir a ingestão de café e álcool) e um pouco de força de vontade, conseguirá livrar-se do cigarro.