Dicas

Colesterol: quatro grupos de medicamentos para controlar

16 junho 2015
colesterol

16 junho 2015

As estatinas estão na primeira linha dos tratamentos, segundo a Direção-Geral da Saúde. Os restantes medicamentos são introduzidos quando aquelas não resultam.

Alimentação saudável e exercício físico são algumas formas de controlar o colesterol elevado. Mas, caso as alterações nos hábitos de vida não surtam efeito, pode ser necessário recorrer à medicação. Poupe na fatura da farmácia comparando o custo dos medicamentos genéricos ou de marca no nosso simulador.

O colesterol elevado aumenta a probabilidade de surgirem problemas cardiovasculares, a principal causa de morte em Portugal. O excesso acumula-se nas artérias, diminuindo o seu calibre. Deste modo, passa menos sangue para o coração e restante organismo, podendo comprometer o seu funcionamento. Por vezes, as placas bloqueiam parcialmente a passagem na artéria coronária, podendo desencadear a conhecida angina de peito, caracterizada por dor nesta zona. Se o bloqueio for total e ocorrer nos vasos que transportam o sangue para o coração, há grande probabilidade de ocorrer um enfarte. Caso afete os vasos que alimentam o cérebro, pode surgir um acidente vascular cerebral.

Alguns problemas de saúde, estilos de vida e fatores genéticos aumentam o risco de colesterol elevado. Quem sofre deste problema deve cortar ao máximo o consumo de gordura saturada de origem animal. Comer mais fruta e vegetais e praticar exercício físico com regularidade é importante. A ingestão diária de leites com fitoesteróis pode ajudar a controlar os níveis.

Os medicamentos são a última opção em termos de tratamento. Antes de prescrevê-los, o médico deve avaliar o risco cardiovascular, considerando todos os fatores que o favorecem, como idade, tensão arterial, hábitos tabágicos e diabetes, entre outros. Homens e mulheres com características idênticas podem apresentar risco diverso.

O tratamento de primeira linha é a sinvastatina. Um paciente com risco baixo ou moderado inicia o tratamento com doses adequadas aos valores de colesterol revelados pelas análises. Na imagem abaixo, indicamos os preços do medicamento mais barato de cada grupo terapêutico, na dose mais baixa e maior embalagem disponível no mercado. As recomendações terapêuticas incluem ainda outro grupo de fármacos, os sequestradores dos ácidos biliares. Mas encontram-se atualmente esgotados nas farmácias. Em caso de risco cardiovascular alto ou muito alto, o doente começa com sinvastatina de 40 mg, aumentando a dose até ao máximo que conseguir tolerar. Se o organismo não reagir, associa-se a ezetimiba. Este medicamento não deve ser tomado em conjunto com fistoesteróis. Para valores de triglicéridos elevados (mais de 200 mg/dl), as estatinas continuam a ser a primeira escolha de tratamento, seguindo-se os fibratos. Os ácidos gordos ómega 3 também podem ser equacionados.

Estes medicamentos só podem ser comprados com receita médica.
Estes medicamentos só podem ser comprados com receita médica.

Imprimir Enviar por e-mail