Notícias

Dentista e paciente em rota de colisão

19 agosto 2014

19 agosto 2014

A nossa leitora A.T. colocou um aparelho para corrigir o espaço entre dois dentes. Como o problema não ficou resolvido, terá de recorrer ao tribunal para reaver os custos do tratamento.

A.T. tinha demasiado espaço entre dois dentes do maxilar inferior. Para eliminá-lo, em abril de 2012, recorreu à clínica Clipóvoa, em Amarante. Segundo o médico, precisaria de aparelhos nos dois maxilares e de extrair um dente no superior. A leitora estranhou, porque os dentes de cima estavam alinhados, mas seguiu o conselho.

Tudo parecia correr bem até retirar o aparelho de baixo e aplicar outro, a que chamou contenção. Com este, teve vários problemas e o dente que inicialmente a levou a procurar o tratamento começou de novo a afastar-se. Queixou-se ao médico, que lhe disse que tudo se resolveria. Mas a situação agravou-se e A.T. consultou outro dentista.

Este informou-a de que seriam necessários novos aparelhos para corrigir a situação. Por conselho do nosso serviço de informação, a leitora contactou a Clipóvoa e exigiu a restituição do valor gasto até ao momento em que interrompeu o tratamento (cerca de 1800 euros). O médico rejeitou responsabilidades, entendendo que o tratamento foi adequado ao diagnóstico e que “a progressão e os resultados foram conforme o esperado”.

A resposta não satisfez A.T., que pediu a nossa intervenção junto da clínica. Fizemo-lo, mas esta manteve a posição.

A leitora pode agora recorrer a um Julgado de Paz, juntando o processo médico, comprovativos de pagamento e, se possível, relatórios de outros profissionais que atestem a má qualidade do serviço e os danos sofridos.