Dicas

Cuidar de um doente em casa

26 março 2015
Cuidar de um doente em casa

26 março 2015

Quem sofre de uma doença incurável e progressiva, como cancro e demência, prefere ser tratado em casa. Pesquisámos o preço de muletas e outro material e ajudamos os cuidadores a lidar com a doença.

Início

Com o aumento da esperança média de vida, é também cada vez mais elevada a probabilidade de atingir complicações de saúde incapacitantes. Em Portugal, 60% das mortes devem-se a doenças crónicas evolutivas, como cancro, insuficiências orgânicas (respiratória, cardíaca, renal, hepática, etc.) e doenças neurológicas (demência, Parkinson, etc.).

Por vezes, estas complicações são incuráveis e levam ao fim da vida. Mas a doença não tem de ser vivida em sofrimento físico. Os cuidados paliativos permitem criar as condições para que o doente viva com qualidade e de forma ativa, através de apoio psicológico ou espiritual, mas também de fármacos que controlam os sintomas. Esta abordagem, que, assim, já não se destina a curar a doença, deve ser iniciada o mais cedo possível e não apenas no fim da vida. Deve ser multidisciplinar e ir ao encontro das necessidades dos familiares, nomeadamente através de aconselhamento e apoio ao doente.

Procura supera oferta de cuidados
Portugal conta com algumas equipas e unidades de cuidados paliativos, embora as necessidades superem a capacidade. Apesar do défice, também não é desejável que os doentes sejam encaminhados para o hospital e aí venham a falecer. Estas unidades destinam-se a resolver situações pontuais, como uma crise. Atingida a meta, os doentes podem regressar a casa. Vários estudos, incluindo os inquéritos estatísticos que temos realizado desde o ano 2000, mostram que aqueles preferem ser tratados e falecer em casa. Não significa que, por vezes, não sejam internados nos últimos dias.

Face a recursos hospitalares limitados, os cuidados no domicílio, com o apoio de equipas de médicos e enfermeiros, podem ser uma estratégia para ampliar a rede de serviços. Existem provas de que reduzem os sintomas do doente, como a ansiedade.