Dicas

Sapatos de corrida: pontos-chave para comprar

23 abril 2014

23 abril 2014

Sapatos adequados, a par do aquecimento e dos alongamentos, e um treino moderado, é meio caminho para evitar lesões.

Para fazer a melhor escolha, é preciso saber como corre, em que tipo de terreno e quais as distâncias percorridas. Se é principiante nestas andanças, precisa de saber se está a usar os sapatos de corrida adequados. Para começar, não use antigos de outros desportos. Até € 40 pode encontrar algumas para os primeiros quilómetros, até ficar “viciado” na corrida. Se prevê fazer um uso mais intensivo, o preço de uns bons sapatos de corrida pode ultrapassar os 80 euros.

Andar multiplica o impacto do peso do corpo entre 1,5 a 2 vezes. Já a corrida multiplica este impacto 3 a 6 vezes. Em cada passada, há uma carga, no mínimo, 3 vezes superior ao peso do atleta. Assim, para um corredor com 70 kg, significa, no mínimo, um impacto de 210 kg, uma carga que é multiplicada por milhares de passadas. Por esta razão, a escolha de uns bons ténis de corrida tem um “peso” muito maior do que se poderia imaginar à primeira vista, tanto na saúde, como no ato de correr.

Poderá ter de avaliar desde o conforto, à anatomia do pé, passando pelo tipo de passada, peso, lesões antigas e ritmo da corrida até ao tipo de terreno em que irá correr.

Uns bons sapatos de corrida fazem a diferença

Peso, superfície e distância percorrida para escolher
Experimente o maior número de sapatos. Varie na marca e no formato. É importante sentir-se bastante confortável com os que vai usar. Verifique, por exemplo, se há espaço suficiente para os dedos abrirem na parte da frente. Como em grandes distâncias os pés dilatam, escolha um número ou dois acima, garantindo que o pé não escorrega no interior.

O peso, o tipo de superfície e os quilómetros percorridos por semana são fatores a ponderar. Se perfaz entre 15 a 30 km por semana, para manter a boa forma física, preste atenção à capacidade de amortecer o impacto inicial, dado oferecer melhor proteção para eventuais lesões. O mesmo se aplica a pessoas com mais peso ou quando o piso é duro, como o alcatrão ou a calçada. Um reforço de 10% nos elementos amortecedores reduz em 20 kg a força no impacto inicial para um atleta de 70 kg.

Simule, com diferentes sapatos, os movimentos naturais ao ato de correr. Ao corrermos, tende a haver uma rotação da parte posterior do pé (calcanhar e tornozelo), mas o ângulo de rotação varia de pessoa para pessoa. Conforme o sentido da rotação, fala-se em pronação ou supinação.

Verificações obrigatórias

  • Escolha a largura e o tamanho mais apropriados. Os dedos necessitam de espaço, sobretudo quando o pé está fletido, dado abrirem durante a passada.
  • Na biqueira, a ponta da sola deve ser subida, para seguir o movimento natural do pé e evitar desgaste prematuro.
  • Nas zonas de flexão do sapato, verifique o correto posicionamento das zonas de dobra do sapato, para acompanharem a flexão do pé.
  • Convém que a zona posterior do calçado seja estável, para o calcanhar e o tornozelo terem um apoio sólido. Aqui, o material deve ser mais rígido para servir de suporte.
  • Na zona lateral do contraforte, procure um rebordo que torneie os ossos do tornozelo. O contraforte deve ter um recorte que não magoe o tendão de Aquiles.
  • Veja se o sapato tem uma palmilha amovível, para arejar e lavar. A camada intermédia do sapato de corrida amortece e distribui a pressão desde o impacto inicial, durante a flexão do pé e no impulso final.
  • A sola é outro aspeto importante, pois oferece aderência adequada ao tipo de superfície e contribui para a durabilidade do sapato.
  • Os atacadores ajustam o sapato ao pé, para garantir a posição correta ao longo da corrida.
  • Para controlar a temperatura do pé e manter a pele seca, opte por um modelo com tecido transpirável. Evita bolhas e outras lesões.

Cuide dos sapatos de corrida
Os sapatos de corrida têm um tempo de vida. Não os lavar na máquina ajuda a conservá-los por mais tempo. Regularmente, avalie o estado dos sapatos. Se notar sinais de desgaste, é provável já ter feito quilómetros a mais e estar já a prejudicar o amortecimento e os seus pés. Os sapatos de corrida não duram até sentir o asfalto sob os pés. Poderá ser tarde demais para evitar uma lesão.


Imprimir Enviar por e-mail