Dossiês

Alergias: como tratar e prevenir

20 junho 2019
alergias

20 junho 2019

Medicação e cuidados no dia-a-dia ajudam a reduzir os sintomas das alergias. Se é alérgico ao pólen, há uma ferramenta online que pode ajudar.

Cosméticos que causam reação

Cremes, champôs, tintas para o cabelo, géis de banho, maquilhagem ou loções para a barba podem causar alergias ou irritações na pele. Mesmo um produto usado há algum tempo e que sempre foi tolerado pode causar reações alérgicas ou irritações pontuais, se o sistema imunitário estiver debilitado.

Os problemas mais comuns são as dermatites de contacto ou eritemas, inflamações causadas pelo contacto com uma determinada substância. A pele fica vermelha e inflamada e podem surgir comichão, borbulhas e descamação na área que entrou em contacto com o alergeno. Nalguns casos mais graves, pode ocorrer asma brônquica. Alguns produtos podem causar também irritações nos olhos. É o caso de certos géis de banho e champôs.

Leia com atenção os ingredientes indicados na embalagem. Qualquer ingrediente pode ter potencial de desencadear uma reação alérgica em indivíduos susceptiveis. No entanto, a Comissão Europeia identificou uma lista de 26 ingredientes de fragrância que são considerados alergénicos. Os fabricantes são obrigados a indicar, nos rótulos dos produtos, a presença destes ingredientes, sempre que presentes em determinada concentração.

Na lista abaixo, apresentamos as substâncias que potencialmente podem causar alergias. 

Perfumes: substâncias alergénicas
Alpha-isomethyl Ionone 3-Methyl-4-(2,6,6-trimethyl-2-cyclohexen-1-yl)-3-buten-2-one
Amyl cinnamal Amil cinamal
Amylcinnamyl alcohol Álcool amilcinamílico
Anise alcohol Álcool anisílico
Benzyl alcohol Álcool benzílico
Benzyl benzoate Benzoato de benzilo
Benzyl cinnamate Cinamato de benzilo
Benzyl salicylate Salicilato de benzilo
Butylphenyl methylpropional 2-(4-tert-butilbenzil) propionaldeído
Cinnamal Cinamal
Cinnamyl alcohol Álcool cinamílico
Citral
Citronellol Citronelol
Coumarin Cumarina
Eugenol
Farnesol
Geraniol
Hexyl cinnamal Hexilcinamaldeído
Hydroxyisohexyl 3-cyclohexane carboxaldehyde Hidroximetilpentil-ciclo-hexeno carboxaldeído *
Hydroxycitronellal Hidroxicitronelal
Isoeugenol
Limonene Limoneno
Linalool Linalol
Methyl 2-octynoate Carbonato de metil-heptino
Oak moss Extrato de musgo de carvalho
Tree moss Extrato de musgo de árvore

*A partir de 23 de agosto de 2019, os produtos cosméticos que contêm esta substância não podem ser colocados no mercado na União Europeia. A partir de 23 de agosto de 2021, não serão disponibilizados no mercado da União Europeia produtos cosméticos que contenham esta substância.

Os compostos odoríficos e aromáticos e as respetivas matérias-primas são referidos pelos termos “parfum” ou “aroma”. Na prática, o consumidor não tem informações sobre o que está a usar, porque o fabricante não tem de identificá-los no rótulo. Uma maior transparência nos rótulos permitiria um melhor diagnóstico nos casos de dermatite de contacto, por exemplo.

Conservantes associados a alergias

Os produtos cosméticos também incluem conservantes, para inibir o desenvolvimento de microrganismos nesses produtos. Os conservantes também têm sido associados a reações alérgicas.

Os parabenos são utilizados como conservantes em cosméticos e produtos de higiene pessoal, como desodorizantes, géis de banho e cremes para o corpo. Mas o registo de casos de dermatite alérgica devido a parabenos é baixo. A principal preocupação com os parabenos é o seu potencial como desreguladores endócrinos, ou seja, suspeita-se que possam alterar a função do sistema endócrino. Segundo a lei, podem ser utilizados desde que não excedam uma concentração de 0,4% (ou 0,8% se vários parabenos). Nos bebés com menos de 6 meses, desaconselhamos o uso de produtos com parabenos, bem como nas crianças com outras idades, se aplicados na zona da fralda.

Evite também produtos que permanecem na pele por várias horas, como cremes e loções para o corpo, com butylparaben e propylparaben. Este conselho dirige-se, sobretudo a grávidas e crianças com menos de 3 anos. Estes dois ingredientes estão proibidos em produtos para aplicar na zona da fralda em bebés.

Os conservantes methylparaben e ethylparaben são seguros nas quantidades permitidas. Presentes em quantidade reduzida, surgem no final da lista de ingredientes do produto cosmético.

“Hipoalergénico” não é garantia

“Hipoalergénico” é uma alegação frequente, mas não significa que o produto seja seguro para todos. De acordo com as orientações da Comissão Europeia, esta alegação apenas pode ser utilizada quando o produto cosmético foi formulado de forma a minimizar o seu potencial alergénico. As fragrâncias alergencias anteriormente listadas, por exemplo, não podem fazer parte da composição destes produtos.

A partir de 1 de julho de 2019, não poderão ser disponibilizados produtos cosméticos no mercado nacional que não cumpram com estas orientações.

No entanto, qualquer substância presente na composição de um produto cosmético pode ser responsável por uma reação alérgica: emulsionantes, antioxidantes, excipientes, entre outros.

O uso da alegação "hipoalergénico" não garante uma completa ausência de risco de uma reação alérgica e o produto não deve dar a impressão de que o faz.

Conselhos para não arriscar

  • Antes de comprar um cosmético, leia atentamente o rótulo e verifique se não existem componentes aos quais é sensível ou alérgico. Caso tenha uma pele sensível, opte por produtos sem perfume ou corantes.
  • Lave as mãos antes de aplicar um creme. Mantenha limpos os acessórios em contacto com a maquilhagem, como pincéis, esponjas e espátulas, entre outros. Lave-os com alguma periodicidade com água e sabão e deixe-os secar por completo antes de voltar a usar.
  • Aplique perfume na roupa, em vez de diretamente na pele.
  • Respeite os prazos de validade, sobretudo os das embalagens abertas, e mantenha os produtos nas embalagens originais.
  • Guarde os produtos cosméticos em lugar fresco, seco e ao abrigo da luz.
  • Se ocorrer alguma alteração de coloração, textura ou cheiro, não use o produto.
  • Antes de aplicar coloração no cabelo, teste: coloque um pouco do produto atrás da orelha, deixando secar sem lavar. Se nas 48 horas seguintes não houver alterações na pele, pode avançar. Siga as instruções do folheto na preparação da tinta. Se sobrar tinta, não guarde para futuras aplicações, porque estes produtos perdem rapidamente as suas propriedades.
  • Se sofrer um efeito indesejável, lave a área atingida com água fria e aplique compressas frias, para aliviar a comichão, sem esfregar.
  • Não arranhe, nem exponha ao sol a zona afetada.
  • Caso suspeite de determinado produto, não o use. Consulte um dermatologista e leve o produto em questão. Assim, o médico pode identificar o alérgeno e evitar que o episódio se repita com outros produtos.
  • Se ocorrer um efeito indesejável após utilizar um produto cosmético ou de higiene corporal, notifique o INFARMED, através do sistema de cosmetovigilância.