Dossiês

Álcool: efeitos do consumo e dicas para pais

26 junho 2019
alcool

26 junho 2019

O consumo de álcool em Portugal diminuiu desde 2015 e há menos internamentos hospitalares por hepatite e cirrose alcoólicas. Mas houve agravamento dos consumos de risco ou dependência. Conheça os efeitos nocivos.

Efeitos e doses

O consumo não se traduz na mesma taxa de alcoolemia em todas as pessoas. A alcoolemia é influenciada por vários fatores, como peso, sexo, estado de saúde e quantidades de sangue e de água no organismo. Os efeitos também variam de pessoa para pessoa. Até na mesma pessoa, os efeitos podem variar de um dia para o outro: dependem do estado de fadiga ou de medicamentos ingeridos, entre outros aspetos.

Os homens não devem tomar mais do que duas bebidas por dia e as mulheres devem ficar-se por uma. Mas, nalguns casos, o impacto negativo anula os benefícios. Consumos de risco, com quantidades superiores e bebedeiras, acarretam danos físicos e mentais, no raciocínio, na atenção e na coordenação motora. O álcool só fornece calorias. Não tem benefícios nutritivos.

Os homens, em geral, não devem ingerir mais de 40 gramas de álcool por dia ou 3 imperiais. As mulheres não devem exceder mais de 24 gramas diários ou 2 imperiais. As grávidas e mães que amamentam devem abster-se. 

Doses determinam quantidade de álcool

A taxa de álcool de cada bebida está indicada no rótulo e é expressa em volume de álcool ou graus.

Um copo de cerveja de 20 cl (uma imperial) tem uma quantidade de álcool semelhante à de uma dose de uísque, com 3 cl. A taxa de álcool da cerveja varia entre 4 e 8 graus, enquanto a do uísque ronda 40 graus. Mas a cerveja, em geral, é servida em copos de 20 cl e o uísque, em doses mais pequenas. Ao fazer as contas à quantidade de álcool, obtemos valores semelhantes.

Um copo de 10 cl de vinho de 12º, um copo de aperitivo tipo martíni com 16º (8 cl), um cálice de vinho do Porto com 20º (6,5 cl) e de uma dose de bebida semelhante ao conhaque com 40º (3 cl) têm a mesma quantidade de álcool da cerveja. 

Tempo para eliminar

Absorvido por inteiro no tubo digestivo, o álcool não é digerido. Num adulto, demora entre 15 e 30 minutos a ser absorvido pelo sangue, fora das refeições. A comida atrasa o processo até ao dobro do tempo. Leite e açúcares podem retardar a absorção em 3 horas. Coma antes de começar a beber ou petisque enquanto saboreia a bebida, porque a comida retarda a absorção do álcool pelo estômago. Intercale uma bebida alcoólica com água ou sumo. Numa festa, é fácil abusar, mas há pequenas decisões que ajudam a moderar o consumo. Por exemplo, se preparar um cocktail, não o faça muito forte.

A curva do gráfico acima indica a variação da concentração de álcool no sangue, após ingerir 75 cl de vinho com 10 graus. A absorção é mais lenta e regular se beber durante a refeição.

Em média, o organismo elimina cerca de 0,1 g/l de álcool por hora. Se tiver uma alcoolemia de 0,5 g/l, demorará 5 horas. A decomposição do álcool no sangue cabe, sobretudo, ao fígado. A longo prazo, um consumo excessivo está mais associado a gastrite, doenças no esófago, pâncreas e fígado, como a cirrose. Esta lesão irreversível pode levar à destruição daquele órgão.