Dossiês

Álcool: efeitos do consumo e dicas para pais

26 junho 2019
alcool

26 junho 2019

O consumo de álcool em Portugal diminuiu desde 2015 e há menos internamentos hospitalares por hepatite e cirrose alcoólicas. Mas houve agravamento dos consumos de risco ou dependência. Conheça os efeitos nocivos.

Início

A mudança da idade mínima de consumo e venda de bebidas alcoólicas dos 16 para os 18 anos, em 2015, coincidiu com a diminuição do consumo per capita entre os jovens e ganhos ao nível da saúde, por exemplo, com a diminuição dos internamentos hospitalares com diagnóstico principal de hepatite ou cirrose alcoólicas, revela um relatório do Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências (SICAD).

No entanto, o mesmo relatório também aponta para alguns indicadores de agravamento dos consumos de risco ou dependência, com destaque para as mulheres e para as faixas etárias mais velhas. Também se destaca o aumento da frequência do consumo binge (ingestão de várias bebidas alcoólicas numa única ocasião para ficar embriagado). 

Em 2017, segundo a mesma entidade, os principais indicadores de agravamento foram as mortes por doenças atribuíveis ao álcool e em acidentes de viação sob influência do álcool, sendo o valor mais elevado dos últimos cinco anos. Também em 2017 aumentaram as sinalizações comunicadas às Comissões de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) em que crianças e jovens são afetados por comportamentos relacionados com o consumo de bebidas.

Hábitos de consumo nos jovens

Um inquérito recente do SICAD a jovens de 18 anos revelou que 89% dos jovens já tinham experimentado bebidas alcoólicas ao longo da vida. Nos 12 meses anteriores, 51,9% dos jovens inquiridos praticavam o consumo binge de álcool e 33,9% assumiam atingir estados de embriaguez severa.

consumo excessivo de álcool originou problemas a 21,1% dos jovens inquiridos: situações de mal-estar emocional e relações sexuais sem preservativo. 

Para prevenir abusos, há conselhos que são válidos para os mais novos e para os adultos. Em caso de consumo excessivo de álcool, deve agir de imediato.