Dicas

Termómetros: dicas para escolher e medir a temperatura

Existem diversos tipos de termómetros à venda. Agrupam-se em três categorias.

Termómetros de vidro

A partir de 1,49 euros. 

Este tipo de dispositivo é rigoroso e versátil, pois pode ser usado em várias zonas do corpo. Os termómetros de vidro atualmente comercializados já não contêm mercúrio, necessitam de 3 minutos para obter a temperatura e têm o inconveniente de poderem partir-se. Algumas pessoas consideram a leitura difícil.

Termómetros digitais

A partir de 4,79 euros.

Neste grupo, encontramos o formato semelhante ao termómetro clássico e de chucha. Muito práticos, indicam a temperatura de forma precisa e rápida. Normalmente medem a febre em menos de 1 minuto e emitem um toque quando terminam a medição. São baratos, seguros e duradouros.

Decida se prefere um termómetro de ponta rígida ou flexível. De acordo com testes efetuados por associações de defesa de consumidores, crianças e adultos cuja temperatura é medida oralmente consideram os de ponta rígida menos confortáveis do que os de ponta flexível. Desvantagem: requerem pilha.

Infravermelhos

A partir de € 24,99 (testa). 

São três os tipos de termómetros com tecnologia de infravermelhos: os de leitura à distância, os de leitura auricular e os de leitura na testa (frontal). Este tipo de termómetros mede a temperatura em poucos segundos, mas é caro e não é necessariamente mais preciso do que os termómetros digitais de menor custo. Existem fatores que interferem na medição, como gotas de suor e a possibilidade de o doente se mexer, sobretudo se for uma criança.

Onde medir a temperatura com precisão

A temperatura pode ser medida no tímpano (ouvido), na boca, na testa, na axila e no reto, sendo que o valor determinado pelo termómetro pode variar com o local. De uma forma simples, qualquer medição acima de 38º C corresponde a febre. Ao realizar a medição, evite ambientes muito quentes.

  • Axila. É o método mais usado e o mais prático, mas não é tão preciso como a medição retal. Basta colocar o termómetro em contacto com a axila e manter o braço firmemente apertado junto ao tórax durante alguns minutos. A partir de 37,5°C considera-se febre no adulto.
  • Boca. Coloca-se o termómetro sob a língua, com a boca fechada e aguarda-se um a dois minutos para que a leitura seja efetuada. Atualmente, também existem chupetas digitais para o efeito. Evite bebidas quentes ou frias 15 minutos antes da medição. A partir de 37,5°C considera-se febre no adulto. 
  • Ouvido (tímpano).  Cómodo e rápido, mas requer um termómetro próprio. A temperatura é mais elevada do que a medida na axila, mas está sujeita a grandes variações, inclusive entre os dois ouvidos. Convém fazer a medição sempre no mesmo ouvido e repeti-la. Pode ainda ser menos fiável em caso de excesso de cera ou otite. A partir de 37,7°C considera-se febre no adulto.
  • Reto. É a medição mais precisa e indicada para os bebés. A técnica consiste em introduzir o termómetro no reto durante dois minutos ou até ouvir um sinal sonoro. A partir de 38°C considera-se febre. 

A temperatura corporal depende de vários fatores, nomeadamente do local de medição. Nas crianças considera-se febre:

  • temperatura retal ≥ 38º C;
  • temperatura axilar ≥ 37,6º C;
  • temperatura timpânica ≥ 37,8º C;
  • temperatura oral ≥ 37,6º C.

Por questões de higiene, um termómetro digital ou de vidro que é usado para temperatura retal não deve ser usado para medir a temperatura oral e vice-versa. Por isso, é importante ter os termómetros devidamente etiquetados consoante a sua utilização.

Antes e depois de utilizar um termómetro lave-o com água fria e sabão, desinfete com álcool, volte a passá-lo por água fria e seque. Não se esqueça de guardar bem o termómetro depois de o utilizar, mantendo-o fora do alcance das crianças.

Junte-se à maior organização de consumidores portuguesa

Num Mundo complexo e com informação por vezes contraditória, a DECO PROTESTE é o sítio certo para refletir e agir.

  • A nossa missão exige independência face aos poderes políticos e económicos. 
  • Testamos e analisamos uma grande variedade de produtos para garantir que a escolha dos consumidores se baseia em informação rigorosa. 
  • Tornamos o dia-a-dia dos consumidores mais fácil e seguro. Desde uma simples viagem de elevador ou um desconto que usamos todos os dias até decisões tão importantes como a compra de casa.
  • Lutamos por práticas de mercado mais justas. Muitas vezes, o País muda com o trabalho que fazemos junto das autoridades e das empresas. 
  • Queremos consumidores mais informados, participativos e exigentes, através da informação que publicamos ou de um contacto personalizado com o nosso serviço de apoio.

A independência da DECO PROTESTE é garantida pela sustentabilidade económica da sua atividade. Manter esta estrutura profissional a funcionar para levar até si um serviço de qualidade exige uma vasta equipa especializada.

Faça parte desta comunidade.

Registe-se para conhecer todas as vantagens, sem compromisso. Subscreva a qualquer momento.

Junte-se a nós