Dicas

Soluções para a incontinência urinária

Medicamentos para a incontinência

A taxa de sucesso dos medicamentos é baixa (inferior a 20%) e, como todos os fármacos, apresentam efeitos secundários. Chamam-se anticolinérgicos e funcionam como bloqueadores dos recetores de colinérgio ou de acetilcolina, localizados nos músculos da bexiga. Ao bloquearem a ligação destes neurotransmissores, os fármacos inibem a contração involuntária do músculo vesical. Deste modo, o intervalo entre micções aumenta, reduzindo os episódios de urgência e incontinência. É por esta razão que os anticolinérgicos apenas estão indicados para o tratamento da incontinência urinária de urgência ou da síndrome de bexiga hiperativa.

Entre 30% e 90% das mulheres abandonam a terapia com medicamentos no período de um ano. Os efeitos adversos, como boca seca, obstipação, olhos secos, aumento da frequência cardíaca, confusão ou perturbação da memória, pesam na decisão de abandonar o tratamento.