Dicas

Pedra nos rins: beba água para prevenir

23 agosto 2011

23 agosto 2011

Muita água e pouca carne e sal previnem a formação de cálculos renais. A maioria dos tratamentos faz-se em ambulatório.

Os cálculos renais, vulgarmente conhecidos por pedra nos rins, são cristalizações de minerais em elevadas concentrações na urina. Atingem 5 a 15% da população mundial e são mais frequentes nos homens com mais de 40 anos.

Podem permanecer nos rins ou desprender-se e viajar através do tracto urinário. Os mais pequenos saem geralmente pela urina, sem causar grandes transtornos. Mas estas areias podem agregar-se e formar cálculos maiores. Neste caso, podem ficar bloqueados nos rins, uréter, bexiga ou uretra e causar dores muito intensas.

Sinais de alarme: vá às urgências

Cerca de metade dos pacientes que já tiveram pedras nos rins voltam a sofrer episódios. É importante apostar na prevenção e estar atento aos sinais.

  • Dores insuportáveis na zona lombar, geralmente, de um só lado, que irradia para o baixo-ventre
  • Febre, palidez e arrepios
  • Vómitos
  • Sangue na urina
  • Necessidade de urinar com frequência
  • Ardor ao urinar

Mais vale prevenir

  • Pessoas de risco, por exemplo, com antecedentes pessoais ou familiares de cálculos, devem beber, pelo menos, 2 litros de água por dia, reduzir a ingestão de carne e peixe e alimentos ricos em oxalato, como espinafres, chocolate, chá preto, frutos secos e figos. Evitar o consumo de sal e vitamina D e manter a ingestão de lacticínios também previne. Estudos recentes revelaram que a quantidade de cálcio no sangue é normal nos pacientes com pedra nos rins. Restringir este mineral na dieta, como era hábito aconselhar-se, tem o efeito oposto: o organismo liberta mais cálcio no sangue, em excesso. Podem ser necessários medicamentos, como diuréticos.
  • Em pacientes com excesso de ácido úrico ou cistina, também se recomendam muitos líquidos e poucas proteínas. Pode ser necessário seguir uma medicação específica, como Alopurinol, para reduzir a secreção de ácido úrico. Em pessoas com pedras de estruvita (fosfato de amónio e magnésio), deve tratar-se as infecções urinárias.
  • Uma pessoa saudável não precisa de cuidados específicos. Mas beber muita água e ter bons hábitos à mesa, privilegiando a fruta, os vegetais e os lacticínios, reduz o risco.

Imprimir Enviar por e-mail