Dicas

Olhos: como tratar problemas

30 março 2015
olhos

30 março 2015

Conjuntivite, blefarite, calázio e hordéolo são problemas oftalmológicos frequentes que podem ser resolvidos em casa. Desfazemos alguns mitos, como esfregar uma aliança quente num terçolho.

Terçolho

O hordéolo (vulgarmente conhecido como terçolho) mais não é do que um abcesso que se forma na borda das pálpebras devido a uma infeção bacteriana aguda de uma glândula sebácea. Esta infeção é muitas vezes atribuída ao Staphylococcus aureus, uma bactéria encontrada na pele saudável. A forma como a infeção se desenvolve é algo que ainda não está completamente esclarecido pela comunidade científica.

Sintomas
O hordéolo pode ser externo ou interno, dependendo da glândula infetada. O externo, conhecido como terçolho e também o mais comum, surge quando uma glândula sebácea associada a um folículo do cílio (glândula de Zeiss) ou na margem da pestana (glândula de Moll) é infetada. O terçolho é doloroso e apresenta-se como um nódulo amarelado na base das pestanas, rodeado por vermelhidão e inchaço das pálpebras. Quando ocorre a rutura da lesão e se dá uma descarga de pus, geralmente verifica-se um alívio da dor e o problema começa a desaparecer.

Já o hordéolo interno, mais raro, desenvolve-se quando existe uma infeção da glândula de Meibomius. Surge ainda uma dor associada a vermelhidão e um inchaço localizado na parte interior da pálpebra. A juntar a estes sintomas, instala-se um abcesso amarelado na conjuntiva. Independentemente de ser interno ou externo, um hordéolo desenvolve-se em poucos dias.

A boa notícia é que, apesar da dor e do incómodo, só raramente surgem complicações. De um modo geral, o problema costuma resolver-se por si só numa semana ou duas e não precisa de nenhum tratamento especial.

Como tratar
Para aliviar os sintomas do terçolho, é possível recorrer ao uso de compressas quentes. Estas podem suavizar a dor e incentivar a drenagem do abcesso. E não se esqueça: espremer a glândula infetada não é a melhor das ideias.