Dicas

Doença de Parkinson: contornar obstáculos do dia-a-dia

Roupa sem botões, luzes de presença no quarto e uma cadeira reclinável ajudam os doentes de Parkinson a fintar as dificuldades quotidianas. 

  • Dossiê técnico
  • Anabela Jorge e João Oliveira
  • Texto
  • Fátima Ramos
05 junho 2019
  • Dossiê técnico
  • Anabela Jorge e João Oliveira
  • Texto
  • Fátima Ramos
parkinson

iStock

Em Portugal, estima-se que 18 mil pessoas sofram desta doença degenerativa crónica do sistema nervoso central, caracterizada por lentidão de movimentos, rigidez e tremor especialmente em repouso. Ao nível global, a doença de Parkinson afeta 1% da população mundial com mais de 65 anos, assumindo-se como o segundo problema neurodegenerativo com maior prevalência. E a tendência é para que estes valores aumentem, uma vez que a patologia está associada ao envelhecimento, e a esperança média de vida da população continua a crescer.

À medida que a doença progride, os pacientes tendem a desenvolver dificuldades em andar e em manter o equilíbrio. Outros sintomas, como problemas a engolir e falar, perturbações do sono e comprometimento cognitivo, também podem surgir.

A “rede” de apoio ao doente é fundamental para a sua adaptação à nova realidade. Algumas medidas simples, como as que se seguem, ajudam a contornar as dificuldades no dia-a-dia.

  • O piso da casa deve manter-se livre de obstáculos, como tapetes e objetos que possam originar escorregadelas e quedas. 
  • Os fatos de treino são fáceis de vestir, sobretudo, se não tiverem botões ou fechos de correr.
  • As máquinas de barbear elétricas evitam os cortes que podem resultar do uso de lâminas afiadas.
  • Beber líquidos por palhinhas fortalece os músculos faciais.
  • Evite sapatos com sola de borracha. Com o evoluir da doença, o andar torna-se mais arrastado. Dado que a borracha adere ao chão, há maior risco de a pessoa tropeçar e cair.
  • Uma cadeira reclinável é excelente para relaxar músculos tensos. Verifique se é confortável e se o mecanismo de controlo pode ser manuseado pelo doente.
  • As lâmpadas de presença no quarto e noutras divisões da casa dão visibilidade, evitando, por exemplo, que o doente tropece em objetos se se levantar à noite.
  • Se precisar de fazer compras, escolha um período em que se sinta mais ágil e evite as alturas de maior movimento.
  • Quando for a um espetáculo, compre bilhetes junto à coxia, para poder levantar-se e dar alguns passos sem incomodar outros espetadores.

 

Este artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais se for indicada a fonte e contiver uma ligação para esta página. Ver Termos e Condições.