Dicas

Depressão: antidepressivos para os casos mais graves

30 março 2017
combater a depressão

Tem vontade de chorar, desânimo e sensação de vazio há mais de 2 semanas? Não tome antidepressivos por sua iniciativa. Consulte o médico de família, um psicólogo ou psiquiatra, para fazer o tratamento adequado.

Informe-se antes de tomar medicamentos

Mudar a perceção sobre a vida e os problemas que nos afetam é a primeira abordagem para os casos mais ligeiros de depressão. Apenas se a estratégia falhar, o médico deve avançar para os medicamentos.

Os antidepressivos raramente têm efeito imediato. Em regra, só se veem resultados em 2 a 4 semanas.

Cerca de um terço dos doentes não reage ao primeiro antidepressivo prescrito. Nestes casos, o médico pode modificar a dose ou receitar outro fármaco.

O tratamento prolonga-se, no mínimo, por 4 a 6 meses. Muitas vezes, em acordo com o doente, o médico determina um período mais alargado.

Ao contrário do que acontece com os ansiolíticos, o médico não tem de aumentar progressivamente a dose para alcançar o mesmo efeito.

No geral, os antidepressivos não provocam grande dependência. Mas podem surgir sintomas desconfortáveis quando deixam de ser tomados, como irritabilidade, ansiedade, tremores, insónia, tonturas ou náuseas. Por isso, o doente não deve abandonar o tratamento sem falar com o médico.