Dicas

Artrite reumatoide sob vigilância

27 março 2013

27 março 2013

Detetar cedo a artrite reumatoide e controlar os respetivos sintomas são medidas-chave para limitar as consequências da doença.

A artrite reumatoide é uma doença reumática crónica e progressiva, caracterizada pela inflamação das articulações, geralmente, em zonas simétricas do corpo. A doença tem particular predileção pelas mãos, pés e pulsos, mas também atinge os joelhos, os cotovelos, os ombros, os tornozelos e as ancas.

A inflamação pode estender-se aos ligamentos, tendões e músculos, restringir os movimentos e deformar as articulações. Outras manifestações típicas da artrite são as dores e a rigidez matinal.

Apesar de não ter cura, é possível controlar os sintomas e retardar a evolução da doença, se o diagnóstico surgir na fase inicial. Com o tratamento adequado, o paciente pode recuperar a mobilidade e a independência.

O exercício físico regular, em alturas de menor intensidade de sintomas, ajuda a tonificar os músculos e a manter a flexibilidade. Fale com o médico sobre a atividade a escolher. Esta deve adaptar-se às capacidades físicas e ao gosto de cada um.

Nas fases agudas, o paciente precisa de descansar para retemperar forças, mas deve levantar-se e retomar a rotina logo que possível.

O apoio psicológico pode ser útil para combater o stresse e a depressão, muitas vezes associados à doença. A troca de experiências com outros doentes ajuda a lidar com as dificuldades. Pode procurar este apoio nas associações de doentes.

Se tem dificuldade, por exemplo, em puxar fechos, abrir latas ou apertar os sapatos, experimente os objetos que facilitam essas tarefas. Pode encontrá-los nalgumas lojas que vendem “ajudas técnicas” para pessoas com incapacidade.