Dicas

Artrose do joelho: travar dores e evolução

27 novembro 2012

27 novembro 2012

Perder peso e manter-se ativo ajuda a atenuar as dores e a rigidez causadas pela artrose do joelho, frequente a partir dos 60 anos. Só em último caso se encara a cirurgia.

A artrose consiste numa inflamação que pode afetar qualquer articulação. Os joelhos são a zona mais sensível. Estima-se que a artrose do joelho seja a causa mais frequente de incapacidade nos adultos.

Esta doença degenerativa evolui de forma gradual ao longo dos anos, com sintomas intermitentes. Em regra, causa dores, rigidez nas articulações e, numa fase mais avançada, perda de mobilidade nalguns pacientes. Na maioria dos casos, desconhecem-se as causas. Por vezes, um traumatismo durante a prática de desporto é suficiente para desencadear a artrose do joelho. Apesar de a doença não ter cura, é possível aliviar os sintomas e retardar a sua evolução.

Obesos e mulheres em risco
A articulação dos joelhos é a maior e mais complexa do corpo humano, mas também a mais vulnerável, já que suporta todo o nosso peso. É hábito associar-se a artrose ao avançar da idade.

O risco é 2 a 3 vezes maior nas mulheres, provavelmente, devido a questões genéticas e hormonais (deficiência de estrogénios).

Os obesos estão mais sujeitos a este tipo de problemas, devido à sobrecarga nas articulações.

Agir ao primeiro sinal
Os sintomas surgem habitualmente depois dos 40 anos: a doença causa dor no joelho, que se agudiza durante um esforço e alivia em repouso.

À medida que progride, a dor surge com cada vez menos esforço, podendo mesmo ocorrer em repouso ou durante a noite. Nalgumas pessoas, os sintomas pioram com mudanças do tempo.

A rigidez das articulações é típica, sobretudo ao acordar e após períodos longos de inação.

O desgaste da cartilagem pode causar estalidos ao movimentar o joelho. Por vezes, formam-se depósitos de osso palpáveis, com tendência para aumentarem com o tempo. O joelho poderá também ficar inchado devido à acumulação de líquido sinovial.

Com a evolução da doença, a intensidade das dores e o inchaço dos joelhos acabam por limitar a mobilidade, levando o paciente a andar cada vez menos.

Para traçar o diagnóstico, além de dores no joelho, deve reunir 3 das seguintes condições:

  • ter mais de 50 anos;
  • rigidez articular matinal que passa em menos de 30 minutos;
  • estalidos nos joelhos ou sensação de atrito nas articulações;
  • joelho inchado ou sensível;
  • articulação que não está quente ao toque.

As cirurgias acarretam sempre o risco de infeção, de dor ou, no caso das próteses, de rejeição. Assim, só devem ser vistas como solução para pacientes que beneficiam realmente de uma intervenção deste tipo, ou seja, aqueles que já perderam a mobilidade ou deixaram de ter uma vida normal devido às dores intensas e constantes.

Ataque rápido às dores
Nas fases agudas, o descanso alivia as dores. Mas recomenda-se períodos curtos, até 12 a 24 horas, pois estar deitado por longos períodos atrofia os músculos e prejudica a mobilidade.

As aplicações de frio ou calor, por vezes, atenuam as dores. Em casa, use um saco de gelo envolto num pano. Para aquecer o joelho, aplique uma botija de água quente ou uma toalha ou compressas quentes.

Numa primeira abordagem, recomenda-se paracetamol e analgésicos tópicos ou capsaicina para aliviar os sintomas. As pomadas têm menos efeitos secundários.

Se não melhorar, aconselha-se anti-inflamatórios não esteroides. Caso estes estejam contraindicados ou não surtam o efeito desejado, os analgésicos opioides, como codeína ou tramadol, são uma opção. Fale com o médico para escolher o tratamento mais indicado e com menos efeitos adversos.

As injeções intra-articulares de corticosteroides no joelho provaram ser eficazes na redução das queixas. São uma opção para pacientes que não toleram ou não melhoram com a medicação referida. As de ácido hialurónico ainda não demonstraram eficácia.

Dicas para reduzir pressão nos joelhos
Emagrecer, em caso de excesso de peso, reduz a sobrecarga sobre as articulações. Estudos revelam que uma ligeira perda reduz os sintomas e traz benefícios para os joelhos.

O exercício regular fortalece os músculos e melhora a flexibilidade. As modalidades aeróbicas, como nadar, andar a pé ou de bicicleta e tai-chi são indicadas para artrose.

Palmilhas e ligaduras elásticas ajudam a estabilizar o joelho e atenuam as dores. As bengalas e os andarilhos reduzem a pressão e facilitam as deslocações.

Após uma cirurgia ao joelho, pode ser necessário recorrer a um centro de reabilitação ou fisioterapeuta. Alguns exercícios diários em casa fortalecem os músculos.