Como testamos

Máscaras sociais: como testamos

15 outubro 2020
mãos a lavarem uma máscara comunitária branca no lavatório

Testámos máscaras sociais reutilizáveis em laboratório, onde avaliámos a respirabilidade e a capacidade de retenção de gotículas.

Submetemos a rigorosos testes laboratoriais 25 amostras de cada uma das 20 máscaras comunitárias reutilizáveis que adquirimos, durante o mês de junho, em farmácias, parafarmácias, supermercados e lojas de retalho físicas e online.

Filtração bacteriana da máscara analisada in vitro

A capacidade de retenção de partículas das máscaras comunitárias reutilizáveis foi avaliada de acordo com o método para determinação in vitro da eficiência de filtração bacteriana, ao abrigo da norma EN 14683:2019+AC:2020 Máscaras de uso clínico – Requisitos e métodos de ensaio, anexo B.

Durante o ensaio, cada amostra foi apertada entre um amostrador de 6 fases em cascata e uma câmara de aerossol. Nesta, foi introduzido um aerossol de Staphylococcus aureus e arrastado sob vácuo através do material da máscara e do amostrador. A eficiência de filtração bacteriana é indicada pelo número de unidades formadoras de colónias que passam através do material da máscara, expresso em percentagem.

Determinação da respirabilidade (pressão diferencial)

Foram efetuados cinco ensaios em superfícies circulares com 25 mm de diâmetro de cada uma das amostras de máscara, obedecendo à norma EN 14683:2019+AC:2020 Máscaras de uso clínico – Requisitos e métodos de ensaio, anexo C. Foi utilizado um manómetro de água para medir a pressão diferencial (respirabilidade), a um fluxo de ar constante, e um debitómetro de massa para medir o fluxo de ar. Uma bomba de vácuo elétrica foi usada para aspirar o ar através do equipamento de ensaio e o ajuste da taxa de fluxo de ar foi feito com recurso a uma válvula de agulha.

Lavagens a 60º

Cumprindo o número de lavagens admitido por cada fabricante na embalagem das máscaras, o teste incluiu lavagens à máquina, com detergente corrente e água a 60º. O ensaio respeitou a norma ISO 6330:2012 - Procedimentos de lavagem e secagem doméstica para ensaio de têxteis.

Ajuste ao rosto

A inspeção visual das máscaras permitiu a análise do design, do tamanho e da facilidade de ajuste da máscara ao nariz, boca e queixo do utilizador.

Rotulagem completa

A lista de especificações técnicas presentes em cada embalagem de máscara reutilizável foi analisada para confirmar a presença das informações obrigatórias para este tipo de produto. Em causa estavam a indicações sobre o processo de reutilização (lavagem, secagem, conservação, manutenção) e o número de reutilizações previstas pelo fabricante, bem como as características de desempenho e a menção ao facto de o produto não ser um dispositivo médico ou um equipamento de proteção individual.
Verificámos ainda se a descrição da composição da máscara e a respetiva marcação cumpriam o regulamento nº 1007/2011.

Além da informação obrigatória, valorizámos as máscaras comunitárias que indicavam o contacto do fabricante e o lote do produto, bem como aquelas que apresentavam um selo de aprovação por laboratório ou entidade acreditada para ensaios.

A presença de instruções em português mereceu o nosso reconhecimento e apreciámos ainda informações adicionais presentes na embalagem, tais como a capacidade de filtragem (respeitante ao nível 2 ou 3), o tamanho, as instruções de colocação e de remoção, o tempo de utilização e até a forma de descartar a máscara no final do seu ciclo de vida.

 

O conteúdo deste artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais com o consentimento expresso da DECO PROTESTE, com indicação da fonte e ligação para esta página. Ver Termos e Condições.