Notícias

Tintas para cabelo: metade não resiste às lavagens

Pintar o cabelo: mito e realidade

Às tintas são associadas diversas ideias que nem sempre têm razão de ser.

Causam cancro?

As primeiras fórmulas continham ingredientes que causavam cancro em animais. Contudo, nos anos de 1970, os fabricantes mudaram as fórmulas e, atualmente, a União Europeia limita o tipo de substâncias que podem ser usadas. Os estudos não provaram uma relação de causa-efeito para uso não-profissional.

Estou grávida. Posso usar?

Apesar de alguns ingredientes serem agressivos em grandes quantidades, a dose usada para pintar é mínima. Mais: apenas uma pequena parte desta dose mínima é absorvida pela pele, e ainda será inferior a quantidade que poderá chegar ao feto. Mas, se preferir, por precaução, evite pintar no primeiro trimestre da gravidez. As tintas vegetais podem ser uma alternativa. Ainda assim, use luvas, deixe atuar o menor tempo possível, aplique numa sala ventilada e lave logo a cabeça.

Provocam alergia?

As tintas podem irritar o couro cabeludo, rosto ou pescoço. Faça um teste numa pequena área de pele 48 horas antes de usar. Se não tiver nenhuma reação, em princípio, não irá desenvolver nenhuma alergia após a coloração do cabelo.

Sem amoníaco: mais seguro?

Apesar de o amoníaco ser corrosivo em grande quantidade, não há evidência de que seja irritante, carcinogénico ou mutagénico, ou que afete a reprodução. Os produtos sem amoníaco, ainda que tenham melhor odor, incluem substitutos. Não são mais seguros e podem ser menos eficazes.