Notícias

Escolher um cosmético: quanto mais denso e cheiroso melhor?

30 novembro 2016
Desfazemos alguns mitos e hábitos ligados ao uso de cosméticos.

30 novembro 2016
Acreditar que os cosméticos são mais eficazes quanto maior for a sua viscosidade e a quantidade de espuma que produzem são ideias comuns. Desfazemos alguns mitos e hábitos ligados ao uso de cosméticos.
Os produtos cosméticos ocupam um lugar importante na higiene e rotinas diárias. Mas a escolha de um novo champô, creme ou gel de banho é muitas vezes feita com base em hábitos e ideias preconcebidas sobre as propriedades ou capacidades destes produtos.

Um costume comum, na compra de produtos de cosmética, é dar o poder de decisão ao nariz. Cheirar um produto é um dos hábitos mais frequentes entre consumidores. Está tão intricado que, mesmo que um desodorizante ou creme anuncie ser “sem perfume”, a tendência de cheirar se mantém.

É essencial gostar do aroma de algo que vai usar com frequência, mas, se tiver pele sensível ou tendência para alergias, prefira os produtos sem perfume. Entre os ingredientes usados na cosmética, os perfumes e conservantes são os principais alérgenos e responsáveis por reações alérgicas. Em caso de reação, veja como notificar o Infarmed.

A textura é também um aspeto valorizado, ao qual estão associados dois mitos:
  • um produto que produz muita espuma limpa melhor;
  • um produto mais viscoso (denso) é mais hidratante.
A espuma não é um indicador de maior eficácia; ajuda a limpar, mas já existem produtos que não fazem espuma e são igualmente eficazes nessa tarefa. A espuma é produzida por ingredientes como o sodium laureth sulfate, o coco-glucoside ou o sodium lauroamphoacetate. Ou seja, o fabricante consegue manipular a quantidade e o tipo de espuma do seu produto: pode ser mais cremosa e pequena ou menos densa e formada por bolhas maiores.

A viscosidade é outra propriedade manipulável que não está diretamente relacionada com a capacidade de hidratação ou reparação dos produtos. A densidade de um creme ou condicionador é influenciada pelos ingredientes emulsionantes utilizados e respetiva concentração no produto. Siga as nossas dicas para descodificar o rótulo dos cosméticos.

Outra grande tendência da maioria dos consumidores é a predisposição para pagar mais por produtos que são aplicados e se mantêm permanentemente (como cremes hidratantes ou antirrugas) do que por produtos para lavar e enxaguar (como géis de duche ou champôs). Os produtos de lavagem são vendidos em frascos maiores, mas costumam ter mais ingredientes funcionais e um custo de produção por quilo superior aos produtos para aplicação permanente, que contêm mais água, são vendidos em frascos mais pequenos e por preços mais elevados. Porém, a maioria dos consumidores não tem esta perceção e, por norma, está disposta a pagar mais pelos produtos que se mantêm permanentemente.