Notícias

Cosméticos feitos em casa podem não ser mais seguros ou baratos

Prós e contras dos cosméticos DIY

A produção de cosméticos industriais baseia-se em conhecimentos científicos e pesquisa sujeita a testes de tolerabilidade. Obedece a normas de segurança que têm de ser cumpridas para os produtos poderem estar à venda. Ou seja, os fabricantes têm de seguir as boas práticas de fabrico estabelecidas pela União Europeia.

O regulamento europeu sobre produtos cosméticos (nº1223/2009) estabelece também uma pessoa responsável (singular ou coletiva) que garante o cumprimento das obrigações previstas no regulamento, sobretudo, do ponto de vista da segurança.

Para ser vendido na União Europeia, qualquer produto cosmético tem de cumprir com o regulamento e o fabricante tem de notificar as entidades competentes com toda a informação referente ao produto. Em Portugal, a entidade responsável pela regulação dos produtos cosméticos é o Infarmed, que tem de garantir que todos os cosméticos colocados no mercado português são seguros e cumprem os requisitos legais.

Além disso, existem restrições às substâncias que podem ser utilizadas em cosméticos. Há substâncias proibidas e outras com restrições quanto às quantidades, o tipo de produtos e a zona do corpo em que os produtos vão ser utilizados.

Existe uma lista das substâncias proibidas e um guia de boas práticas de fabrico que as empresas devem cumprir.

Vantagens de fazer em casa

  • Uma das preocupações de quem adere aos cosméticos DIY é utilizar substâncias com reduzido impacte ambiental, o que nem sempre é uma preocupação das grandes empresas.
  • As receitas mais simples e inofensivas utilizam ingredientes comuns, que normalmente temos na dispensa ou na cozinha.
  • O produto pode ser personalizado com os cheiros e ingredientes de que gosta.

Riscos da produção própria de cosméticos

  • Algumas substâncias, mal usadas ou em concentrações erradas, podem causar reações alérgicas ou adversas, como irritações.
  • Os cosméticos feitos em casa duram menos. Para se manterem, precisam de conservantes e antioxidantes, sob pena de desenvolverem bactérias e fungos, como bolor. É difícil definir um prazo de validade para um produto feito em casa.
  • É imprescindível garantir a máxima limpeza e higiene das ferramentas, recipientes e ambiente de trabalho utilizados para a produção dos produtos caseiros;
  • Deve garantir a qualidade das matérias-primas. Há várias lojas online, mas nem todas são credíveis.
  • A produção pode encarecer, pois terá de investir nas matérias-primas para fazer uma pequena quantidade de produto (por causa da pouca durabilidade), e não vai utilizá-las de uma vez.

Os sabonetes ou sabões caseiros ou artesanais são relativamente seguros do ponto de vista da conservação, uma vez que ao serem sólidos reduzem os riscos de desenvolverem bactérias ou fungos. Além disso, são produtos laváveis que têm um tempo de contacto com a pele reduzido. Os produtos em creme ou loções têm maior risco e, ao ficarem na pele, aumentam o risco de reação adversas, tais como irritações ou alergias.

Atenção a estes ingredientes

Óleos essenciais

Os óleos essenciais contêm substâncias alérgicas que, em cosméticos industriais, devem ter concentrações bem definidas e controladas. Podem causar irritação na pele, nos olhos e nas mucosas. Em casa, é mais difícil misturar a dose correta destas substâncias. É necessário ter especial atenção aos óleos de limão e bergamota, que não podem ser usados antes da exposição solar. As crianças e as grávidas devem ter o mínimo de contacto com os óleos essenciais.

Soda cáustica

Utiliza-se para sabonetes, mas pode ser perigosa se não for bem usada, porque, como indicado nas instruções do produto, pode causar queimaduras na pele e lesões oculares graves. Para a manipular deve utilizar luvas, máscara e óculos de proteção.

Vitaminas

Algumas vitaminas podem ter efeitos nocivos para a pele, como, por exemplo, o retinol (derivado da vitamina A), que pode causar fotossensibilidade. Por isso, nunca deverá ser utilizado, por exemplo, num creme de dia.

Substâncias em pó

São substâncias usadas, principalmente, na preparação de produtos de maquilhagem, como sombras e pó. Quando inaladas, podem ter efeitos negativos para o sistema respiratório.