Notícias

Aplicações para telemóvel contra insetos revelam-se inúteis

27 maio 2015

27 maio 2015

Com um simples download e, muitas vezes, gratuitamente, as aplicações prometem afugentar melgas, mosquitos e outros insetos. Mas estudos revelam que são inúteis.

Um jantar de verão no terraço ou na esplanada perde o encanto se estiver sob o ataque de melgas e outros insetos. As recentes aplicações para telemóvel contra insetos prometem uma espécie de imunidade, através da emissão de faixas de som quase impercetíveis ao ouvido humano, os ultrassons. Basta ligar a aplicação no telemóvel e concentrar-se na conversa, sem se preocupar muito com a bateria, pois alguns programas até alegam ser poupados. 

O resultado doloroso do teste a uma app anti insetos

Mas este sonho para quem sofre na pele as picadas está longe de ser concretizado por esta via. Está provado que os ultrassons têm algum efeito em pequenos mamíferos, como roedores, morcegos e toupeiras, mas não em insetos.

Em simultâneo com o nosso teste a repelentes em spray e roll-on, testámos duas aplicações para as plataformas Android e iOS, que dizem emitir ultrassons destinados a manter os mosquitos à distância. No entanto, está provado que os ultrassons não têm efeito algum sobre estes insetos. O nosso teste confirmou as evidências científicas e demonstrou que, na hora de dar combate aos mosquitos, as apps têm eficácia zero. Mas, pelo menos, são gratuitas. Pode sempre desinstalar para libertar espaço no smartphone e optar por um verdadeiro repelente, em spray ou roll-on.

Estas aplicações podem dar uma falsa sensação de segurança, em detrimento de produtos mais eficazes. Prefira repelentes em gel, stick ou vaporizado e proteja-se com vestuário adequado. Procure no rótulo DEET, icaridina ou IR3535. São as substâncias que resultam melhor. 


Imprimir Enviar por e-mail