Guia de compras

Pastas de dentes: guia de compras

25 janeiro 2021
Mulher jovem a pôr pasta de dentes numa escova. As mãos e os objetos estão focados, no primeiro plano, e o rosto, desfocado, em fundo.

Prefira uma pasta com 1000 a 1500 ppm de flúor, mesmo no caso de crianças. Este mineral é essencial para a remineralização dos dentes e prevenção das cáries.

Bebidas e alimentos ácidos ou doces podem provocar desgaste ou cáries nos dentes. O flúor ajuda a reverter este processo, ao reforçar o esmalte. Por isso, recomenda-se que uma pasta de dentes contenha 1000 a 1500 ppm deste mineral. Uma boa higiene oral depende, pois, do uso de fio dentário, seguido de escovagem com pasta dotada de flúor.

Pastas sem flúor não são eficazes a prevenir cáries e doenças dos tecidos periodontais, isto é, à volta dos dentes. O flúor contribuiu, desde a primeira metade do século XX, para a queda drástica do número de cáries na população mundial.

Nas quantidades permitidas por lei nas pastas de dentes, este mineral não é tóxico. Mas, em excesso, pode provocar fluorose, que se caracteriza por manchas nos dentes e, em casos mais graves, esmalte débil e poroso. Trata-se de uma doença irreversível, sobretudo preocupante nas crianças, quando os dentes estão em formação. Serão, assim, recomendadas as pastas sem flúor para os miúdos? De todo. As crianças precisam de flúor para evitarem cáries e fortalecerem os dentes. Mas os pais não devem depositar na escova mais do que uma porção do tamanho da unha do dedo mindinho da criança.

Além de flúor, as pastas de dentes incluem ingredientes que lhes dão sabor (adoçantes), capacidade de reter a água (humectantes) ou fazer espuma (detergentes) e mais tempo de vida (conservantes). Por vezes, também levam elementos que combatem o tártaro e a proliferação de micróbios. Algumas destas substâncias envolvem potencial alergénico ou de desregulação endócrina, pelo que indivíduos mais sensíveis devem preferir um produto que não os contenha.

O triclosan, um conservante presente em alguns dentífricos, tem sido associado ao aparecimento de doenças cancerígenas em animais. Contudo, a concentração até 0,3% nas pastas de dentes é considerada segura, e até ajuda a remover a placa dentária e a prevenir a inflamação das gengivas (gengivite).

A maioria dos produtos contém ainda sodium lauryl sulfate, um detergente geralmente seguro, mas que pode atrasar a cura de feridas na boca. Por isso, se tem aftas, o melhor será optar por pastas que não incluam esta substância.

 

O conteúdo deste artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais com o consentimento expresso da DECO PROTESTE, com indicação da fonte e ligação para esta página. Ver Termos e Condições.