Guia de compras

Guia de compras: pastas de dentes branqueadoras

26 janeiro 2017
 pastas branqueadoras não branqueiam

26 janeiro 2017
As pastas branqueadoras custam, em média, 40% mais do que as normais e apresentam resultados semelhantes: são eficazes a limpar e a remover as manchas superficiais, mas não alteram a cor natural dos dentes.
Quando comprar um dentífrico, além do preço, deverá verificar a lista de ingredientes. O flúor, por exemplo, é essencial para a remineralização dos dentes e prevenção das cáries. A Direção-Geral da Saúde recomenda a utilização quotidiana de pastas com 1000 a 1500 ppm (partes por milhão) daquele mineral. A informação deve constar na embalagem.

Convém ainda optar pelos produtos que incluam menos corantes, representados pela sigla CI, seguida de um número. Estes não são verdadeiramente necessários. A sua utilização pretende tornar a cor dos produtos mais agradável, pois as pastas são naturalmente amareladas.

O triclosan, um conservante presente em muitos dentífricos, tem sido associado ao aparecimento de doenças cancerígenas em animais. Contudo, a concentração até 0,3% nas pastas de dentes é considerada segura e até ajuda a remover a placa dentária e a prevenir a inflamação nas gengivas (gengivite).

A maioria dos produtos contem ainda sodium lauryl sulfate, um detergente geralmente seguro, mas que pode atrasar a cura de feridas na boca. Por isso, se tem aftas, o melhor será optar pelas pastas que não incluem esta substância.

Se tem tendência para alergias, prefira produtos sem substâncias potencialmente alergénicas.

Imprimir Enviar por e-mail