voltar

Seguro do trabalho

Esta reclamação é pública

Reclamação

T. C.

Para: Tranquilidade

24/05/2022

Venho por este meio reclamar da Seguradora Tranquilidade. Tive um acidente de trabalho no dia 06/04/2022 em que o meu pé ficou por baixo de palete metálica de carga de avião, com 2400kg de peso. Foi-me atribuído um médico que desde o início se mostrou completamente desinteressado no caso. Ao fim de pouco mais de 1 mês de baixa e metade disso de fisioterapia, esse médico do seguro da Tranquilidade, mandou-me trabalhar sem condicionantes nenhumas, logo a 100%. Mesmo depois de lhe dizer que ainda não conseguia andar bem por causa dos tendões, quanto mais carregar carga de 25, 30kg ou mais. Pior, é que fiquei sem fisioterapia de um momento para o outro. Não só não teve o bom-senso de me dar alta condicionada, como nem sequer prescreveu a continuação de fisioterapia. Se é para isto que servem os seguros de trabalho, mais valia irmos ao privado e a empresa pagar. As empresas devem pagar bem às seguradoras.

Solução pretendida

  • Retomar a fisioterapia como deve ser.

Resposta (2)

Tranquilidade

Para: T. C.

27/05/2022

Caro(a) senhor(a), Caros Senhores, Acusamos a receção do seu e-mail, cujo teor mereceu a nossa melhor atenção. Solicitamos, no entanto, a confirmação do n° de ocorrencia/sinistro ou indique nos o n° de apólice e data de sinistro, de forma a podermos dar o devido seguimento ao seu pedido, uma vez que através dos dados facultados não nos foi possível identificar o sinistro em causa. Melhores Cumprimentos, Ana Dias [s:www.tranquilidade.pt/documents/10192/ae9e1520-5825-40ae-8e67-14c69d5e3079] --------------- Mensagem original --------------- pt] reclamação: Seguro do trabalho - (CPTPT01528650-27) ---------------------------------------------------------------- REMETENTE EXTERNO - tem ATENÇaO aos links e anexos! ---------------------------------------------------------------- [:deco.proteste.pt/-/mediaokeacompanyassets/images/home/home-hero-hand-phone.jpg?rev=0b0135de-973d-4ddb-a9b8-0698cceb2662] [s:www.deco.proteste.pt/~/media/2ed018b57cfc4f8599f0e2a8b4b5041f.png] [:deco.proteste.pt/-/mediaokeacompanyassets/images/notifications/icon_bell.jpg?rev=38677567-b2bc-4439-a91d-e8dd01793183] Recebeu uma reclamação de: TANIA COSTA A reclamação é da autoria e responsabilidade da/o vossa/o cliente, tendo sido por ela/o enviada aos vossos serviços através da nossa plataforma Reclamar. Esta plataforma permite aos consumidores resolverem conflitos de consumo diretamente com as empresas e partilhar informações com outros consumidores. Nota: a DECO PROTESTE não está a mediar o caso, nem se compromete com o conteúdo da reclamação, que é da responsabilidade do/a autor/a. - A reclamação é pública e está visível no nosso site para todos os consumidores. O/a autor/a pode mudar a visibilidade da reclamação de pública para privada, e vice-versa, sempre que quiser. Próximos passos Basta responder ao e-mail recebido, sem alterar o assunto: CPTPT01528650-27. Atenção: a resposta pode ser tornada pública pelo utilizador que escreveu a reclamação. Por isso, não divulgue dados pessoais do consumidor, os seus ou de terceiros na sua resposta. Tem alguma questão sobre o funcionamento da plataforma Reclamar? Consulte a informação para empresas. refToken: dcc4b646-d521-4e9b-864d-3a4a06ebc81f Seguro do trabalho Nome TANIA COSTA Referência Número de cliente: 6394160-17 Reclamação Venho por este meio reclamar da Seguradora Tranquilidade. Tive um acidente de trabalho no dia 06/04/2022 em que o meu pé ficou por baixo de palete metálica de carga de avião, com 2400kg de peso. Foi-me atribuído um médico que desde o início se mostrou completamente desinteressado no caso. Ao fim de pouco mais de 1 mes de baixa e metade disso de fisioterapia, esse médico do seguro da Tranquilidade, mandou-me trabalhar sem condicionantes nenhumas, logo a 100%. Mesmo depois de lhe dizer que ainda não conseguia andar bem por causa dos tendões, quanto mais carregar carga de 25, 30kg ou mais. Pior, é que fiquei sem fisioterapia de um momento para o outro. Não só não teve o bom-senso de me dar alta condicionada, como nem sequer prescreveu a continuação de fisioterapia. Se é para isto que servem os seguros de trabalho, mais valia irmos ao privado e a empresa pagar. As empresas devem pagar bem às seguradoras. Solução pretendida Retomar a fisioterapia como deve ser. Anexos [s:www.deco.proteste.pt/~/media/da218f0f9f0c4cd18f87530a7281d923.png] Não tenho documentos comprovativos Cumprimentos, DECO PROTESTE [s:www.deco.proteste.pt/~/media/2ed018b57cfc4f8599f0e2a8b4b5041f.png] [s:www.deco.proteste.pt/~/media] [s:generaliseguros.my.salesforce.com/servlet/servlet.ImageServer?oid=00D09000005NdUgandesid=01809000006WAouandfrom=ext]

T. C.

Para: Tranquilidade

27/05/2022

Bom dia, A data do sinistro foi 06/04/2022. Se identifico bem o número do sinistro é: 0018366268. Já agora, a apólice é 1210021816. Agradecida pela atenção. A única coisa que pretendo é a continuação da fisioterapia. Porque à data da alta (16/05) só tinha 2 semanas e meia de fisioterapia e foi-me dada alta completa, depois de ter o pé espremido por 2400kg. A alegação do médico pode ser que não houve fratura completa, por isso poderia voltar a trabalhar a tempo inteiro, sem período de adaptação e sem fisioterapia. Quando tudo ficou espremido (ossos, tendões, ligamentos, etc.), o médico pensar que estaria em condições para trabalhar como se nada tivesse acontecido, é de uma irresponsabilidade tremenda desse médico. Nuna entendi porque não me deu alta a 25%, ou 50%, e porque me retirou a fisioterapia (que me estava a ajudar bastante) de um dia para o outro. Como devem imaginar, arranjar fisioterapia pelo SNS iria demorar meses. E trabalhar meses como estou sem fisioterapia adequada, é para voltar a ter problemas mais cedo ou mais tarde. Atenciosamente, Tânia Costa