voltar

Aluguer de Viatura

SIXT - JAPrac rent-a-car, Aluguer de automóveis, Lda.

Esta reclamação é pública

Reclamação

D. L.

Para: SIXT - JAPrac rent-a-car, Aluguer de automóveis, Lda.

27/10/2020

Exmos Srs. No seguimento do vosso email a imputarem-me culpa por uns riscos em 2 jantes do veículo que aluguei tenho a declarar: 1.- O veículo não foi inspecionado aquando do aluguer. 2. - A Vossa colaboradora apenas me disse que se eu detetasse algum dano visível que poderia apresentar uma reclamação para o email constante no contrato de aluguer. 3.- O veiculo nem por dentro estava limpo porque ainda tinha uma folha de um contrato de Setembro. 4. - As jantes já estariam riscadas porque é algo que um cidadão comum não vai procurar nem é facil de detetar num parque coberto com pouca iluminação. 5. - O que de facto estranhei foi a minúcia e a predisposição fiscalizadora do vosso funcionário aquando do checkout em oposição à falta verificação e acompanhamento na entrega da viatura. Pelo acima exposto, não concordo com o facto de me estarem a imputar culpas por danos quando os vossos serviços foram completamente negligentes e desinteressados pelo estado da viatura aquando do check-in. Mais informo que não assinei nenhum documento como o veiculo foi inspecionando para verificação de danos. Não terá que ser o cliente a detectar os danos mas sim os vossos serviços a informarem o cliente através de uma figura a existência de danos ou não e o local para depois o cliente decidir de concorda ou não com tal documento. Faço questão de na próxima 6 feira dirigir-me ao balcão do aeroporto para redigir uma reclamação no livro de reclamações. Respeitisamente Fábio Veríssimo

Solução pretendida

  • Reembolso: € 300,00

Resposta (1)

SIXT - JAPrac rent-a-car, Aluguer de automóveis, Lda.

Para: D. L.

09/11/2020

Bom dia Exmos. Senhores, Antes demais, apresentamos os nossos cordiais cumprimentos. No que concerne ao sucedido, mais somos a prestar os devidos esclarecimentos: O Reclamante - Exmo. Senhor Fábio Veríssimo - celebrou um contrato de aluguer de viatura com a Reclamada ao qual foi atribuído o número 9473885212, e que teve como objeto uma viatura da marca Renault, modelo Clio, titular da matrícula 47-XM-73, que foi levantada junto nas instalações da Reclamada junto ao aeroporto de Lisboa. Aquando do levantamento da viatura, em 13 de outubro de 2020, a mesma apresentava apenas e tão-só os danos pré-existentes, conforme consta na documentação anexa ao contrato de aluguer. Volvido o período de aluguer, o Reclamante devolveu a viaturas nas instalações da Reclamada onde a havia recolhido. Os colaboradores da Reclamada procederam à verificação da viatura, para a deteção de novos danos, ocorrido durante o período de aluguer. Daquela verificação fora possível detetar novos danos na viatura, designadamente: 1. Jante da frente, lado do condutor - riscos 2. Jante da frente, lado do passageiros - riscos Nesse sentido, a Reclamada elaborou um orçamento de reparação, donde concluiu que o conserto e reparação dos danos acarretaria a assunção de um custo de Eur 256.58 (IVA incluído), sendo que o valor da franquia de danos próprios contratada havia sido de Eur 1.450 e, como tal, seria este o valor máximo exigível ao Reclamante. A este montante acresce ainda o pagamento de uma taxa administrativa (damage handling fee), devida pela gestão e processamento da cobrança dos danos, num total de Eur35,00 O montante apurado e cobrado atende a diversos fatores, nomeadamente o custo de reparação, os lucros cessantes resultantes da imobilização da viatura, as despesas indiretamente resultantes da reparação, como o combustível, portagens, etc. Destarte, o valor cobrado está em conformidade com o IDC (International Damage Catalogue), e varia de acordo com a categoria da viatura. Efetivamente, todas as viaturas são objeto de uma vistoria para deteção de eventuais danos, imediatamente antes da sua entrega ao novo cliente. Esse foi o caso também na situação em apreço, em que não foi detetado nenhuma anomalia, avaria ou dano, senão as registadas como danos pré-existentes. Aliás, o Reclamante teve a oportunidade e foi aconselhado a verificar o estado e a condição da viatura antes de esta lhe ser entregue no início do período de aluguer, não tendo reportado qualquer inconformidade, por um lado, e assinado a documentação nesse sentido. Cabe-nos ainda esclarecer que, apesar do Reclamante mencionar não concordar com o procedimento, o mesmo assinou o documento em concordância com o mesmo. Após reanalise do processo do Exmo. Senhor Fábio Veríssimo, a Reclamada não dispõe de qualquer evidencia que, isente o Reclamante da responsabilidade pelos danos em causa. Ante o exposto, e considerando a prova documental existente, a Reclamada terá de manter a cobrança aplicada ao contrato de aluguer, encontrando-se o processo concluído por parte da Reclamada. Sem outro assunto de momento e, encontrando-nos ao dispor para prestar todos os esclarecimentos adicionais que se reputem necessários, subscrevemo-nos, com os melhores cumprimentos. Cumprimentos, Sofia Pereira Qualidade Gestora de Reclamações sofia.pereira@grupojap.pt www.grupojap.pt [Arte32_c97d9367-3281-47e0-826e-0ef03486c72c_Prancheta 1] Esta mensagem contém informação confidencial e destina-se apenas à pessoa acima identificada. Se V. Exa. não é o destinatário indicado não deverá divulgar, distribuir ou copiar este e-mail. Pedimos o favor de, caso tenha recebido este e-mail por engano, notificar imediatamente o remetente e apagar do seu sistema o seu conteúdo. Não é possível garantir a segurança ou a ausencia de erros na transmissão por correio eletrónico já que a informação pode ser intercetada, corrompida, perdida, destruída, chegar tarde ou de forma incompleta, ou conter vírus. Por essa razão o remetente não aceita qualquer responsabilidade por erros ou omissões no conteúdo da mensagem resultante da transmissão por correio eletrónico.