back

Não recebimento de bagagem no destino

Caso encerrado Resolvida com sucesso Com intervenção da DECO PROTESTE

Esta reclamação é pública

Your complaint

J. V.

Para: TAP-Air Portugal

03/12/2019

Venho, por este meio, comunicar a V. Exas. que, na viagem de avião Lisboa-Copenhaga no voo TP754 a 08set19, a bagagem entregue no Aeroporto de Lisboa nunca chegou ao destino. Efetuei a reclamação no balcão da Star Alliance/SAS de Conpenhaga, tendo sido aberto o processo nº CPHTP18118. A bagagem trazia toda a minha roupa para o cruzeiro aos fiordes da Noruega, no navio Maraviglia da MSC, o qual saíu de Copenhaga a 08/09/2019, passando por Geiranger (N), Flaam (N), Stavanger (N), Kiel (D), e regresso a Copenhaga a 15/09/2019. Só no regresso de Copenhaga a 15/09/2019, já em Lisboa, a minha mala me foi devolvida, após me deslocar ao serviço de reclamações. Na realidade, a mala nunca saiu do aeroporto de Lisboa. Não tive oportunidade de usufruir de grande parte das facilidades /eventos /divertimentos disponíveis aos passageiros no navio, numa viagem que imaginei ser de sonho e de descanso e na qual gastei, sem contar com despesas a bordo e em terra, cerca de 2.000 € por pessoa, no total um pouco mais de 6.000€, só na viagem, que incluiu o cruzeiro, passagens aéreas e transferes, para mim, esposa e filho. Na realidade acabou por ser uma viagem de grande stress, frustração e emocionalmente desgastante. A verdade é que fiquei sem a mala de viagem que continha diverso vestuário e calçado adequado ao programa do cruzeiro, diversos utensílios de higiene pessoal, e medicamentos que tomo diariamente (e que não tomei durante 7 dias). Não tive assim condições para utilizar as piscinas, o ginásio e outras atividades desportivas disponíveis no navio, e com grande tristeza e desgosto fui obrigado a faltar a eventos de cerimónia com dress code, designadamente o jantar de gala, bem como a suportar a vergonha de frequentar alguns eventos com roupa desadequada. Da mesma forma, não tinha também roupa e calçado apropriados às condições climatéricas dos locais que ia visitar em terra. E como é óbvio, é muito limitada a escolha de vestuário a bordo, com reduzida variedade de tipos, cor, e tamanhos, e nas pequenas povoações inicialmente visitadas na Noruega apenas existiam produtos locais para turistas. Vi-me forçado a adquirir algum vestuário, sobretudo roupa quente e de proteção de chuva que, dadas as cores e/ou tipo do material disponíveis nos mencionados locais, provavelmente não voltarei a utilizar. Felizmente a mala apareceu e não se verificaram os prejuizos materiais de uma perda total. Contudo o objetivo da minha viagem ficou irrecuperavelmente prejudicado, tendo regressado desencantado e desgostoso em vez de satisfeito, pelo que entendo ter direito a ser indemnizado por quem me causou tamanha frustração e transtorno. Cabendo a V. Exas. assumir a responsabilidade pela não disponibilização da minha bagagem, venho, por este meio, não só exigir que me indemnizem pelas despesas que só tive de realizar por não ter os meus bens, no valor de € 203,62 (valores debitados pelo banco, já incluindo a comissão do serviço internacional e imposto de selo), mas também uma compensação monetária por danos emocionais, pelo prejuízo de me terem impedido de gozar o cruzeiro em condições minimamente aceitáveis. Pelos danos não materiais, pretendo que me seja pago, a título de compensação, o valor de € 700,00, correspondendo a € 100,00 por dia sem bagagem, admitindo em alternativa, e se for de mais fácil operacionalização pela TAP, que esta compensação seja materializada através de um crédito na TAP naquele montante, para futura(s) aquisição(ões) de passagens aéreas para mim e/ou minha família, em data(s) e para destino(s) a escolher. Enviei carta registada com Aviso de Receção para a TAP, a 19set2019 (RD 8370 2667 4 PT), com cópia das despesas realizadas, da reclamação efetuada em Copenhaga, e dos boarding pass e não tive qualquer resposta até à data.

Solução pretendida

  • Compensação

Messages (6)

Enviada à DECO PROTESTE a 19 dezembro 2019

DECO PROTESTE

Para: J. V.

14/01/2020
This answer is private

TAP-Air Portugal

Para: J. V.

10/02/2020

TAP - FC PT MR 2019/92030 Exmos. Senhores, Acusamos receção do e-mail de V. Exa., com a referencia 105263457-42, relativo à reclamação do Exmo. Senhor João Mário Simões Viana. Informamos que, contactámos o Cliente com proposta de pagamento. Com os melhores cumprimentos, Marina Cordeiro Marketing e Comunicação Relacionamento com o Cliente Fale Connosco [cid:image005.png@01D37A49.8D5A6830] [s:user.tap.pt/email/tap_embarra_pos.png] flytap.com victoria.flytap.com From: DECO PROTESTE Sent: 14 de janeiro de 2020 20:30 To: fale.connosco@tap.pt Subject: CPTPT00776787-11 105263457-42 N/Refª: 105263457-42 Exmos. Senhores, Vimos, por este meio, solicitar que, tendo em conta a reclamação apresentada pelo nosso associado João Viana em anexo, nos remetam um comentário relativamente ao seu teor, bem como informação acerca das medidas que serão adotadas para que os seus direitos, na qualidade de consumidores, sejam respeitados, tendo em conta, designadamente, o seguinte: Além de terem de indemnizar pelos danos patrimoniais , originados pelo atraso da bagagem, cujo transporte foi da responsabilidade da TAP AIR PORTUGAL, terão igualmente de ressarcir dos danos não patrimoniais a que deu origem esse mesmo atraso, designadamente no tempo que despenderam na tentativa de recuperarem a bagagem e na ansiedade gerada pela situação. O que é certo é que o tempo que despenderam a tentar resolver toda esta situação, no período de férias, foi tempo de férias que não gozaram. Fora aquele que, já depois do regresso, tem empregue na tentativa de fazerem valer os seus direitos que lhes são conferidos pela Lei,. O transporte de passageiros e bagagens em aeronave rege-se pela Convenção de Montreal, aprovada pelo Decreto 39/2002, de 27 de Novembro. O regime legal de indemnização por atrasos no transporte de passageiros e extravio/atraso de bagagens consagrado na Convenção inclui danos patrimoniais e não patrimoniais. A responsabilidade da transportadora aérea por todos os danos, está atualmente limitada, no que diz respeito a atraso no transporte de bagagem a 1.131 direitos de saque especiais, cujo valor se exige. Na expectativa da vossa resposta, para eventual publicação da informação nela contida, ou da constante da reclamação apresentada, subscrevemo-nos, apresentando os nossos cumprimentos. Serviço de Informações [cid:image003.jpg@01D5D527.DB6B49A0] Av. Eng. Arantes e Oliveira, 13 1° B 1900-221 Lisboa Telefone: 218 410 858 Fax: 218 410 802 informacao@deco.proteste.pt este texto respeita as regras do novo acordo -----Mensagem original----- De: Enviada: quinta-feira, 19 de dezembro de 2019 09:25 Para: "CC_Complain_Area@deco.proteste.pt" Assunto: CPTPT00776787-11 PT1JOAO MARIO SIMOESVIANA121897True 916640415jmsviana2000@gmail.com /Não recebimento de bagagem no destinoConsumerVenho, por este meio, comunicar a V. Exas. que, na viagem de avião Lisboa-Copenhaga no voo TP754 a 08set19, a bagagem entregue no Aeroporto de Lisboa nunca chegou ao destino. Efetuei a reclamação no balcão da Star Alliance/SAS de Conpenhaga, tendo sido aberto o processo n° CPHTP18118. A bagagem trazia toda a minha roupa para o cruzeiro aos fiordes da Noruega, no navio Maraviglia da MSC, o qual saíu de Copenhaga a 08/09/2019, passando por Geiranger (N), Flaam (N), Stavanger (N), Kiel (D), e regresso a Copenhaga a 15/09/2019. Só no regresso de Copenhaga a 15/09/2019, já em Lisboa, a minha mala me foi devolvida, após me deslocar ao serviço de reclamações. Na realidade, a mala nunca saiu do aeroporto de Lisboa. Não tive oportunidade de usufruir de grande parte das facilidades /eventos /divertimentos disponíveis aos passageiros no navio, numa viagem que imaginei ser de sonho e de descanso e na qual gastei, sem contar com despesas a bordo e em terra, cerca de 2.000 Eur por pessoa, no total um pouco mais de 6.000Eur, só na viagem, que incluiu o cruzeiro, passagens aéreas e transferes, para mim, esposa e filho. Na realidade acabou por ser uma viagem de grande stress, frustração e emocionalmente desgastante. A verdade é que fiquei sem a mala de viagem que continha diverso vestuário e calçado adequado ao programa do cruzeiro, diversos utensílios de higiene pessoal, e medicamentos que tomo diariamente (e que não tomei durante 7 dias). Não tive assim condições para utilizar as piscinas, o ginásio e outras atividades desportivas disponíveis no navio, e com grande tristeza e desgosto fui obrigado a faltar a eventos de cerimónia com dress code, designadamente o jantar de gala, bem como a suportar a vergonha de frequentar alguns eventos com roupa desadequada. Da mesma forma, não tinha também roupa e calçado apropriados às condições climatéricas dos locais que ia visitar em terra. E como é óbvio, é muito limitada a escolha de vestuário a bordo, com reduzida variedade de tipos, cor, e tamanhos, e nas pequenas povoações inicialmente visitadas na Noruega apenas existiam produtos locais para turistas. Vi-me forçado a adquirir algum vestuário, sobretudo roupa quente e de proteção de chuva que, dadas as cores e/ou tipo do material disponíveis nos mencionados locais, provavelmente não voltarei a utilizar. Felizmente a mala apareceu e não se verificaram os prejuizos materiais de uma perda total. Contudo o objetivo da minha viagem ficou irrecuperavelmente prejudicado, tendo regressado desencantado e desgostoso em vez de satisfeito, pelo que entendo ter direito a ser indemnizado por quem me causou tamanha frustração e transtorno. Cabendo a V. Exas. assumir a responsabilidade pela não disponibilização da minha bagagem, venho, por este meio, não só exigir que me indemnizem pelas despesas que só tive de realizar por não ter os meus bens, no valor de Eur 203,62 (valores debitados pelo banco, já incluindo a comissão do serviço internacional e imposto de selo), mas também uma compensação monetária por danos emocionais, pelo prejuízo de me terem impedido de gozar o cruzeiro em condições minimamente aceitáveis. Pelos danos não materiais, pretendo que me seja pago, a título de compensação, o valor de Eur 700,00, correspondendo a Eur 100,00 por dia sem bagagem, admitindo em alternativa, e se for de mais fácil operacionalização pela TAP, que esta compensação seja materializada através de um crédito na TAP naquele montante, para futura(s) aquisição(ões) de passagens aéreas para mim e/ou minha família, em data(s) e para destino(s) a escolher. Enviei carta registada com Aviso de Receção para a TAP, a 19set2019 (RD 8370 2667 4 PT), com cópia das despesas realizadas, da reclamação efetuada em Copenhaga, e dos boarding pass e não tive qualquer resposta até à data. CPTPT00776787-110,0000TAP-Air Portugal TrueS.1.5

DECO PROTESTE

Para: J. V.

12/02/2020
This answer is private

DECO PROTESTE

Para: J. V.

01/03/2020
This answer is private

J. V.

Para: DECO PROTESTE

02/03/2020
This answer is private

DECO PROTESTE

Para: J. V.

02/03/2020
This answer is private