Humilhação em voo da Easyjet - mãe com bebé

EASYJET Airline Company Limited


Esta reclamação é pública

  • I. G. Para EASYJET Airline Company Limited

    Exmos Senhores, no passado sábado (21.09.2019), num voo da Easyjet entre Bristol/Porto, fui confrontada com uma situação profundamente humilhante e grave. Viajei sozinha com o meu bebé de 2 anos, que durante o voo comeu uns snacks. Estes mesmos snacks entornaram um pouco no chão do corredor, mas mais junto ao banco. Avisei de imediato o hospedeiro de bordo, que simpaticamente disse que não havia problema e para não me preocupar. Mas quando o avião estava a descolar (21h30), a hospedeira Bailey entrega-me uma vassoura e uma pá para eu limpar o chão e diz-me para eu colocar no lixo. Ora já estava com o cinto e o meu filho também. Naquele momento estava a entreter o meu filho com desenhos para se manter quieto e tranquilo na aterragem. No momento, peguei no kit de limpeza, por ter ficado tão atordoada. Mas quando cai em mim, cliquei logo no alarme e chamei o primeiro hospedeiro. Tranquilizou-me e disse que estava tudo bem. Disse-lhe que esta situação não tinha qualquer sentido e para transmitir a mensagem À colega. Entretanto a hospedeira Bailey limpou. Fiquei muito perturbada com a situação. Como tal, à saída, perguntei-lhe o nome e a senhora mostra-me o nome do crachat, sem qualquer tipo de arrependimento. Ainda lhe disse que esta situação não iria para por aqui. A terceira hospedeira do voo, ficou admirada com a situação e perguntou-me que eu lhe explicasse. E assim fiz, a senhora ficou incrédula e pediu imensas desculpas em nome da Easyjet. Com esta situação, fui a última a entrar no autocarro, com um bebé ao colo, perdendo qualquer tipo de prioridade. Fiquei colada ao vidro e tive que deixar cair os sacos dos ombros, para aguentar o peso do bebé e tributação. Todos estes acontecimentos foram bastante humilhantes para mim e muito desagradáveis. Uma situação insólita e sem sentido. Agradeço imenso a atenção dispensada. Os meus melhores cumprimentos, Ida Gaspar

    Detalhes da reclamação

    Exmos Senhores, no passado sábado (21.09.2019), num voo da Easyjet entre Bristol/Porto, fui confrontada com uma situação profundamente humilhante e grave. Viajei sozinha com o meu bebé de 2 anos, que durante o voo comeu uns snacks. Estes mesmos snacks entornaram um pouco no chão do corredor, mas mais junto ao banco. Avisei de imediato o hospedeiro de bordo, que simpaticamente disse que não havia problema e para não me preocupar. Mas quando o avião estava a descolar (21h30), a hospedeira Bailey entrega-me uma vassoura e uma pá para eu limpar o chão e diz-me para eu colocar no lixo. Ora já estava com o cinto e o meu filho também. Naquele momento estava a entreter o meu filho com desenhos para se manter quieto e tranquilo na aterragem. No momento, peguei no kit de limpeza, por ter ficado tão atordoada. Mas quando cai em mim, cliquei logo no alarme e chamei o primeiro hospedeiro. Tranquilizou-me e disse que estava tudo bem. Disse-lhe que esta situação não tinha qualquer sentido e para transmitir a mensagem À colega. Entretanto a hospedeira Bailey limpou. Fiquei muito perturbada com a situação. Como tal, à saída, perguntei-lhe o nome e a senhora mostra-me o nome do crachat, sem qualquer tipo de arrependimento. Ainda lhe disse que esta situação não iria para por aqui. A terceira hospedeira do voo, ficou admirada com a situação e perguntou-me que eu lhe explicasse. E assim fiz, a senhora ficou incrédula e pediu imensas desculpas em nome da Easyjet. Com esta situação, fui a última a entrar no autocarro, com um bebé ao colo, perdendo qualquer tipo de prioridade. Fiquei colada ao vidro e tive que deixar cair os sacos dos ombros, para aguentar o peso do bebé e tributação. Todos estes acontecimentos foram bastante humilhantes para mim e muito desagradáveis. Uma situação insólita e sem sentido. Agradeço imenso a atenção dispensada. Os meus melhores cumprimentos, Ida Gaspar

    Solução pretendida

    Compensação

    Documentos anexados
    Não há ficheiros anexados

Precisa de apoio?

Peça ajuda aos nossos juristas

211 215 750

Dias úteis, das 9 às 18 horas