Com intervenção da DECO PROTESTE

Securitas Direct Portugal, Unipessoal, Lda.


Esta reclamação é pública

  • F. V. Para Securitas Direct Portugal, Unipessoal, Lda.

    Boa tarde No 12 de Abril comuniquei, à empresa Securitas, o início de obras na minha residência, afetando uma das divisões onde funciona o alarme. A Securitas desativou o funcionamento do alarme na totalidade da casa, sem pedido do cliente, quando podia isolar a suspensão do alarme à divisão em questão. Faturou um serviço que desativou, durante 4 meses, por recriação própria. Ou seja, por vontade que não a minha o meu serviço deixou de funcionar e continuei a ser cobrado. Pedi reembolso destes 4 meses, pedido esse que foi recusado dizendo não havendo defeito no equipamento, a empresa não se responsabilizava. Enviei vários e-mails a expor a situação e num deles pedi a suspensão do serviço até resolução desta situação. Apresentaram propostas de redução, nenhuma de devolução dos valores totais. Não me parece que seja uma boa prática desligarem o serviço sem haver pedido de cliente, procurarem fidelizar o mesmo em vez de resolverem o meu problema e quando, efetivamente peço uma suspensão, não é atendida - principalmente, não estando fidelizado. Isto é, continuo a ser faturado por um serviço que não me foi prestado faz já 6 meses, sendo incansáveis nas comunicações, por e-mail, por mensagem e chamadas para informar que existem valores em divida. Hoje, num dos telefonemas, a assistente foi extremamente desagradável. Depois de informada do processo, disse e passo a parafrasear: "O Sr. não é dono da razão, a chamada está a ser gravada". Posto isto, se está a ser gravada, devem ouvir e verificar que não houve qualquer pedido para suspender o meu serviço. Uma empresa de renome como a Securitas devia de colocar pessoas com capacidade de atendimento ao púbico, habilitados lidar com este tipo questões sem perder a postura. Visto que, fui elucidado - e muito bem - que a chamada estava a ser gravada, como são todas, pelo meu conhecimento, peço que confirmem todas estas chamadas e que me respondam o motivo pelo qual não foram tomadas as medidas impostas para quando o alarme dispara, quando o mesmo sucedeu. Notifiquei esta situação à empresa, no próprio dia, algo que também pode ser verificado nas chamadas que são gravadas. Portanto, aqui coloco duas hipóteses: o material é defeituoso e a Securitas deve assumir responsabilidade, ou suspenderam-me o serviço indevidamente, e neste caso também se deve responsabilizar. Venho, então, por este meio, solicitar a ajuda da DECO PROTESTE, na resolução desta situação. Desde já agradeço a atenção disponibilizada. Cumprimentos, Francisco Vieira

    Detalhes da reclamação

    Boa tarde No 12 de Abril comuniquei, à empresa Securitas, o início de obras na minha residência, afetando uma das divisões onde funciona o alarme. A Securitas desativou o funcionamento do alarme na totalidade da casa, sem pedido do cliente, quando podia isolar a suspensão do alarme à divisão em questão. Faturou um serviço que desativou, durante 4 meses, por recriação própria. Ou seja, por vontade que não a minha o meu serviço deixou de funcionar e continuei a ser cobrado. Pedi reembolso destes 4 meses, pedido esse que foi recusado dizendo não havendo defeito no equipamento, a empresa não se responsabilizava. Enviei vários e-mails a expor a situação e num deles pedi a suspensão do serviço até resolução desta situação. Apresentaram propostas de redução, nenhuma de devolução dos valores totais. Não me parece que seja uma boa prática desligarem o serviço sem haver pedido de cliente, procurarem fidelizar o mesmo em vez de resolverem o meu problema e quando, efetivamente peço uma suspensão, não é atendida - principalmente, não estando fidelizado. Isto é, continuo a ser faturado por um serviço que não me foi prestado faz já 6 meses, sendo incansáveis nas comunicações, por e-mail, por mensagem e chamadas para informar que existem valores em divida. Hoje, num dos telefonemas, a assistente foi extremamente desagradável. Depois de informada do processo, disse e passo a parafrasear: "O Sr. não é dono da razão, a chamada está a ser gravada". Posto isto, se está a ser gravada, devem ouvir e verificar que não houve qualquer pedido para suspender o meu serviço. Uma empresa de renome como a Securitas devia de colocar pessoas com capacidade de atendimento ao púbico, habilitados lidar com este tipo questões sem perder a postura. Visto que, fui elucidado - e muito bem - que a chamada estava a ser gravada, como são todas, pelo meu conhecimento, peço que confirmem todas estas chamadas e que me respondam o motivo pelo qual não foram tomadas as medidas impostas para quando o alarme dispara, quando o mesmo sucedeu. Notifiquei esta situação à empresa, no próprio dia, algo que também pode ser verificado nas chamadas que são gravadas. Portanto, aqui coloco duas hipóteses: o material é defeituoso e a Securitas deve assumir responsabilidade, ou suspenderam-me o serviço indevidamente, e neste caso também se deve responsabilizar. Venho, então, por este meio, solicitar a ajuda da DECO PROTESTE, na resolução desta situação. Desde já agradeço a atenção disponibilizada. Cumprimentos, Francisco Vieira

    Solução pretendida

    Reembolso: € 174,20

    Documentos anexados
    • Documento comprovativo
  • Enviada à DECO PROTESTE a 04 outubro 2019
  • Mensagem privada

Precisa de apoio?

Peça ajuda aos nossos juristas

211 215 750

Dias úteis, das 9 às 18 horas