Wall Street English - Reclamação contrato curso de inglês

Com intervenção da DECO PROTESTE

Wall Street English


Esta reclamação é pública

  • R. A. Para Wall Street English

    Venho por esta via apresentar o meu enorme desagrado e reclamar por esta via o poder demasiado forte que a empresa/entidade tem relativamente aos seus clientes. O cliente quando desloca-se a uma empresa para usufruir de um serviço, na maioria dos casos: primeiro usufrui do serviço e depois paga; ou vai pagando enquanto usufrui do serviço. No caso da Wall Street English, não. O cliente chega lá, diz que quer tirar o curso de inglês e depois de analisar-se os níveis que se pretende frequentar, tem que pagar de imediato o curso ou pedir um crédito sem juros para pagar o curso. Isto é, se o cliente, ao longo do tempo, verificar que o curso por qualquer motivo aceitável não se adequa ao que pretende ou à sua disponibilidade, nunca poderá voltar atrás. Considero isto totalmente inaceitável. No meu caso em concreto, desloquei-me ao Wall Street English de São João da Madeira para frequentar o curso. Nesse data em que me inscrevi no curso, acabei por aderir a um plano de curso com demasiados níveis (a minha ideia inicial era tirar um curso mais curto, que me permitisse aprender o essencial do inglês), pois tive de tomar a decisão na hora por causa de um campanha promocional que existia na altura. Refiro desde já que em termos de atendimento (funcionários) e qualidade do ensino (professores), não tenho absolutamente nada a apontar, e é um facto que aprendi algo neste curso. Foi-me sempre garantido que os horários eram bastante flexíveis ao meu horário de trabalho, mesmo depois de referir que a minha disponibilidade seria sempre ao final do dia. Ao longo do tempo, verifiquei que isso não acontecia. Existiam muito poucos horários disponíveis, o que me dificultava o cumprimento dos mesmos e o cumprimento do plano de curso. Se verificasse num determinado mês, em que tivesse muito trabalho, e não ligasse ou enviasse um mail a perguntar sobre a marcação de aulas ou avaliações, por vezes verificava que não tinha nada marcado. Foi-me referido recentemente que numa faculdade ninguém me contactava para ir às aulas. Tem alguma comparação? Depois de insistir durante quase dois anos na continuação do curso e tentar cumprir o plano de curso, assumindo que era uma significativa parte da minha responsabilidade não estar a cumprir a frequência de todas as aulas e avaliações, percebi que realmente não existia qualquer possibilidade, pelas razões expostas cumprir o plano total do curso. Apresentei uma exposição ao centro, no dia 5 de Abril de 2019, no qual me foi respondido depois de muita insistência apenas no dia 7 de Maio, resposta esta com um tom bastante desagradável. Acho errado que eu seja agora obrigado a pagar o valor que falta do curso, quando não irei usufruir dos serviços da instituição. Existiam sempre formas de solucionar esta situação, mas assim realmente é fácil para o Wall Street. Recebe o dinheiro no momento da inscrição e o aluno (quem tem direito aos serviços) fica associado a um crédito, no qual é o único responsável. A Wall Street English não tem o direito de me obrigar a pagar até Junho de 2020, isto é 15 meses, que oficialmente não estou a usufruir nem estou interessado em usufruir pelos motivos já enunciados anteriormente. No dia 22/07/2019, regularizei todo o montante com a instituição de crédito. Da minha parte, já não tenho qualquer responsabilidade. Agora, o Wall Street English terá que me arranjar uma solução, porque paguei 15 meses que não usufrui nem usufruirei. Apresento assim o pedido por esta via para que tenha o direito de sair do curso e seja reembolsado. Ainda refiro que já fiz exposição no portal da queixa a 27 de maio e ainda não consegui que apresentassem uma solução concreta.

    Detalhes da reclamação

    Venho por esta via apresentar o meu enorme desagrado e reclamar por esta via o poder demasiado forte que a empresa/entidade tem relativamente aos seus clientes. O cliente quando desloca-se a uma empresa para usufruir de um serviço, na maioria dos casos: primeiro usufrui do serviço e depois paga; ou vai pagando enquanto usufrui do serviço. No caso da Wall Street English, não. O cliente chega lá, diz que quer tirar o curso de inglês e depois de analisar-se os níveis que se pretende frequentar, tem que pagar de imediato o curso ou pedir um crédito sem juros para pagar o curso. Isto é, se o cliente, ao longo do tempo, verificar que o curso por qualquer motivo aceitável não se adequa ao que pretende ou à sua disponibilidade, nunca poderá voltar atrás. Considero isto totalmente inaceitável. No meu caso em concreto, desloquei-me ao Wall Street English de São João da Madeira para frequentar o curso. Nesse data em que me inscrevi no curso, acabei por aderir a um plano de curso com demasiados níveis (a minha ideia inicial era tirar um curso mais curto, que me permitisse aprender o essencial do inglês), pois tive de tomar a decisão na hora por causa de um campanha promocional que existia na altura. Refiro desde já que em termos de atendimento (funcionários) e qualidade do ensino (professores), não tenho absolutamente nada a apontar, e é um facto que aprendi algo neste curso. Foi-me sempre garantido que os horários eram bastante flexíveis ao meu horário de trabalho, mesmo depois de referir que a minha disponibilidade seria sempre ao final do dia. Ao longo do tempo, verifiquei que isso não acontecia. Existiam muito poucos horários disponíveis, o que me dificultava o cumprimento dos mesmos e o cumprimento do plano de curso. Se verificasse num determinado mês, em que tivesse muito trabalho, e não ligasse ou enviasse um mail a perguntar sobre a marcação de aulas ou avaliações, por vezes verificava que não tinha nada marcado. Foi-me referido recentemente que numa faculdade ninguém me contactava para ir às aulas. Tem alguma comparação? Depois de insistir durante quase dois anos na continuação do curso e tentar cumprir o plano de curso, assumindo que era uma significativa parte da minha responsabilidade não estar a cumprir a frequência de todas as aulas e avaliações, percebi que realmente não existia qualquer possibilidade, pelas razões expostas cumprir o plano total do curso. Apresentei uma exposição ao centro, no dia 5 de Abril de 2019, no qual me foi respondido depois de muita insistência apenas no dia 7 de Maio, resposta esta com um tom bastante desagradável. Acho errado que eu seja agora obrigado a pagar o valor que falta do curso, quando não irei usufruir dos serviços da instituição. Existiam sempre formas de solucionar esta situação, mas assim realmente é fácil para o Wall Street. Recebe o dinheiro no momento da inscrição e o aluno (quem tem direito aos serviços) fica associado a um crédito, no qual é o único responsável. A Wall Street English não tem o direito de me obrigar a pagar até Junho de 2020, isto é 15 meses, que oficialmente não estou a usufruir nem estou interessado em usufruir pelos motivos já enunciados anteriormente. No dia 22/07/2019, regularizei todo o montante com a instituição de crédito. Da minha parte, já não tenho qualquer responsabilidade. Agora, o Wall Street English terá que me arranjar uma solução, porque paguei 15 meses que não usufrui nem usufruirei. Apresento assim o pedido por esta via para que tenha o direito de sair do curso e seja reembolsado. Ainda refiro que já fiz exposição no portal da queixa a 27 de maio e ainda não consegui que apresentassem uma solução concreta.

    Solução pretendida

    Reembolso: € 1335,00

    Documentos anexados
    Não há ficheiros anexados
  • Wall Street English Para R. A.

    Caro Ricardo, Conforme já foi mencionado, o contrato celebrado com o WSE de S. João da Madeira, em termos legais, não pode ser cancelado. Desta forma, reforçamos que a equipa do WSE de S. João da Madeira continua a aguardar por si, para ser delineado um plano à sua medida para que possa usufruir em pleno do seu curso. Pode, ainda, considerar a passagem do curso para outra pessoa, conforme referenciado nas condições gerais do seu contrato. Obrigada, [assinatura_042019] WSE Portugal Tel: 808 20 40 20 www.wsenglish.pt Condições gerais

    Caro Ricardo, Conforme já foi mencionado, o contrato celebrado com o WSE de S. João da Madeira, em termos legais, não pode ser cancelado. Desta forma, reforçamos que a equipa do WSE de S. João da Madeira continua a aguardar por si, para ser delineado um plano à sua medida para que possa usufruir em pleno do seu curso. Pode, ainda, considerar a passagem do curso para outra pessoa, conforme referenciado nas condições gerais do seu contrato. Obrigada, [assinatura_042019] WSE Portugal Tel: 808 20 40 20 www.wsenglish.pt Condições gerais

  • Enviada à DECO PROTESTE a 19 agosto 2019
  • Mensagem privada

Precisa de apoio?

Peça ajuda aos nossos juristas

211 215 750

Dias úteis, das 9 às 18 horas