PRIVACIDADE NAS REDES SOCIAIS

NÃO PARTILHES A TUA VIDA TODA NAS REDES SOCIAIS

Por vezes, não temos consciência de que qualquer pessoa com acesso à internet pode ver toda a informação que partilhámos. Por isso, pensa bem antes de publicar uma foto ou informação comprometedora nas tuas redes sociais.

Escolhe o que pretendes que saibam de ti

Quantos mais dados privados partilhares através da internet, mais vulnerável estarás, uma vez que a propagação de conteúdos tem um alcance inimaginável. Por isso, faz uma gestão cuidadosa daquilo que realmente queres que se saiba sobre ti publicamente. É possível que não queiras que toda a gente veja as tuas fotos da festa de sábado. Para isso, podes escolher o que partilhar e com quem. Não brinques com a tua privacidade!

A minha conta Google:

  • alterar a privacidade para o que mais te convém é muito fácil. Além disso, podes aceder às opções de privacidade e segurança dos teus dados em todas as contas Google muito rapidamente.

Facebook:

  • também permite gerir o funcionamento da tua privacidade. Vai ao ícone do cadeado que aparece no canto superior direito e escolhe.

LinkedIn

  • se não queres que a tua conta apareça nos motores de pesquisa, podes geri-lo e evitar que alguém te encontre por ter perfil nesta rede profissional.

Twitter:

  • na secção «Privacidade e segurança» tens várias opções para controlar quem te pode marcar, mencionar, ver a localização... e outros dados que talvez não queiras mostrar em público.

Instagram::

  • dada a natureza fotográfica desta rede, a gestão da privacidade pode ser muito útil. Se pretendes configurar os parâmetros de privacidade, deves premir o botão «Definições» e escolher a opção «Conta Privada». Desta forma, só as pessoas que aceitares é que poderão ver as tuas fotos.

WhatsApp:

  • para escolher se queres partilhar a hora da tua última ligação, a tua foto de perfil ou se leste as mensagens, vai a «Definições» (Android) ou «Configurações» (iOS), depois «Conta» e por último «Privacidade».

Uma sentença do Tribunal de Justiça da União Europeia determinou, em 2014, que é possível, mas apenas se os resultados mostrados forem inadequados, irrelevantes ou excessivos.

Se precisares de mais informações, consulta o site da CNPD (Comissão Nacional da Proteção de Dados)

Não deixes os teus dados à solta por aí

Certamente que não deixas os teus álbuns de fotos por aí, à vista de qualquer pessoa. Pois deverias fazer o mesmo na internet, pois a sua distribuição massiva pode ser feita com uma rapidez impressionante. Aprende como controlar quem pode ver as tuas fotos e dados.


As redes sociais facilitam as relações, a comunicação e o poder localizar antigas amizades. Mas cuidado: se não conheces a pessoa que te deseja adicionar como amigo, é melhor não a adicionares, pois pode ser qualquer um. Ou deixas entrar desconhecidos em tua casa? Pois se não deixas a chave na porta, também não o faças com os teus perfis pessoais.

Já te deve ter acontecido mais do que uma vez um amigo ter-te identificado numa foto em que não ficaste bem. Para evitar essas situações, escolhe a identificação tanto das fotos como das publicações. Ou seja, é possível autorizar as publicações em que queres aparecer.

É muito simples, vê como fazer para cada uma das redes sociais.

Google+: vai a «Definições» e escolhe a opção que preferires. Para mais informações, entra aqui.

Facebbok vai a «Definições» e depois a «Cronologia e identificação» para selecionares o tipo de identificações que pretendes. Para mais informações, segue esta ligação.

Twitter: vai a «Marcação de Foto» dentro de «Privacidade e segurança».

Instagram: qualquer pessoa pode identificar-te em fotos, a menos que a tenhas bloqueado. No entanto, revê o «Centro de privacidade e segurança» dentro do menu «Ajuda» para veres as diferentes opções de que dispões para preservar a tua privacidade.

Não informes onde estás

Estamos de acordo quanto ao facto de os serviços de geolocalização ou check-in serem muito úteis em alguns casos. Mas contar constantemente onde estamos pode ser utilizado contra nós.
Pode ser muito útil quando temos de partilhar com um amigo a nossa localização, ou quando queremos informar sobre o evento em que estamos nesse momento. O problema surge quando este tipo de informação é aproveitado com más intenções, por exemplo, por ladrões que aproveitam a nossa ausência para entrar em nossa casa.

Claro! Os passos a seguir dependem do tipo de plataforma que utilizas:

Android: vai à secção «Localização» a partir de «Definições». Podes desligar totalmente os serviços de localização quando quiseres. É fácil!

iOS: permite-te personalizar, dependendo de cada aplicação, ou seja, podes desativar a geolocalização por aplicações. Para isso, vai a «Localização» e seleciona quais as aplicações que queres que mostrem a tua localização. Esta secção encontra-se em «Definições» e «Privacidade».

Windows Phone: podes configurar a tua localização a partir da própria aplicação quando estiveres a utilizar este serviço ou desativá-la por completo a partir do menu «Serviços de Localização» dentro de «Definições».

Firefox: a própria plataforma pergunta-te se pretendes ativar ou desativar a geolocalização. Se tiveres tido algum problema e te tiveres esquecido deste detalhe, não te preocupes, podes desativar a tua localização da seguinte forma: escreve «about:config» na barra de endereços, utilizando o motor de busca que aparece na parte superior, procura a entrada geo.enabled = false e desativa a geolocalização.

Blackeberry: basta aceder a «Serviços de localização» e escolher o estado «Ativado» ou «Desativado». Podes encontrar esta secção em «Definições», dentro do menu «Serviços de localização».

Complicado? Esperamos que não e que a partir de agora tenhas mais cuidado ao divulgar onde te encontras.

Como atualizar o navegador

Atualizar o navegador não custa nada e pode ajudar a evitar possíveis perigos na rede. Por isso, já sabes!

Também te pode interessar...