Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pela PROTESTE INVESTE. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.
1.º MÊS GRATUITO
Conselhos independentes de investimento

Nova emissão das OTRV: vale a pena subscrever?

Data da publicação: 17/07/2017

À Euribor atual, a nova emissão de Obrigações do Tesouro de Rendimento Variável (OTRV Agosto 2022) rende 1,2%. Tenha atenção às comissões pois, ao contrário dos certificados de aforro, este produto de dívida pública é comercializado nos bancos.

A partir de hoje, e até 28 de julho, pode subscrever a quinta emissão de Obrigações do Tesouro de Rendimento Variável (OTRV). Esta emissão (OTRV Agosto 2022) tem a duração máxima de cinco anos e será reembolsada a 2 de agosto de 2022. Os juros são pagos semestralmente a 2 de fevereiro e agosto de cada ano.

 

O juro semestral corresponde à taxa Euribor a seis meses acrescida de 1,6%. Caso a Euribor seja negativa, como atualmente, é considerado zero. Assim, o rendimento bruto mínimo é de 1,6%. Retirado o imposto de 28%, garantem ao subscritor 1,15% líquidos.

 

O preço de subscrição é de 1000 euros por cada título (valor nominal). Não poderá aplicar mais de um milhão de euros (pode adquirir entre um a mil títulos). Cada investidor pode efetuar apenas uma ordem de subscrição, podendo alterá-la ou revogá-la até às 15 horas do dia 25 de julho.

 

Comissões bancárias penalizam rendimento

Ao contrário dos Certificados de Aforro e do Tesouro, as OTRV são comercializadas nos bancos. Os particulares têm assim acesso a estas obrigações de taxa variável na emissão, o que não sucede nas Obrigações do Tesouro (Ot) de taxa fixa.

 

Mas tenha muita atenção às elevadas comissões praticadas pelos bancos. Nas OT e OTRV são cobradas comissões (subscrição, custódia, pagamento de juros e reembolso de capital), que podem diminuir bastante o rendimento.

 

Cada banco tem o seu preçário e as comissões variam consoante a instituição. Uma aplicação de pequenos montantes será sempre penalizada. No quadro a seguir apresentamos uma simulação de rendimento tendo em conta as respetivas comissões bancárias em várias instituições financeiras.

 

Se recorrer ao nosso protocolo com a GoBulling, só para montantes superiores 5 mil euros, o peso das comissões é menos prejudicial ao rendimento. No entanto, mesmo para 5 mil euros, em muitas instituições o peso das comissões é de tal forma que o rendimento efetivo é muito baixo ou mesmo negativo.

 

Antes de subscrever peça sempre uma simulação de custos e verifique a taxa de rentabilidade líquida do investimento. Alguns bancos disponibilizam também calculadoras para esse fim nas suas páginas de Internet.

 

Comercialização em bolsa e risco

Foi solicitada a admissão à negociação das OTRV na Euronext Lisbon. A negociação fica assim sujeita às condições de mercado (liquidez e cotação). Após a subscrição, poderá transacionar o título. Ao longo dos cinco anos a cotação pode variar em função do rendimento e da procura e não está garantido o capital. Deve também considerar o risco do emitente, o Estado. Em caso de uma restruturação da dívida os títulos poderão ser afetados.

 

Prefira os Certificados do Tesouro Poupança Mais

Obrigações do Tesouro de Rendimento Variável (OTRV) e Certificados do Tesouro Poupança Mais (CTPM) têm ambos o prazo máximo de cinco anos, mas o rendimento é determinado de forma diferente.

 

Nos CTPM os juros são pagos anualmente a taxa crescente. Às taxas em vigor atualmente, proporcionam 1,6% líquidos ao ano a quem mantiver pelos cinco anos. Não têm custos e há um prémio indexado ao PIB a atribuir nos últimos dois anos, o que pode elevar o rendimento até 2% líquidos ao ano, se ficar até ao final do prazo.

 

Por outro lado, nas OTRV os juros são semestrais a taxa variável dependente da Euribor. O capital apenas está garantido se mantiver até à maturidade. E existem custos, que podem diminuir o rendimento. Também nas Obrigações do Tesouro de taxa fixa há custos e o rendimento (0,7% para a OT Outubro 2022) supõe que adquire o título à cotação atual e o mantém até ao vencimento.

 

Assim, as OTRV Agosto 2022 apresentam um rendimento mínimo inferior ao dos CTPM. As comissões cobradas e a não-garantia de capital antes da maturidade também são duas desvantagens. É pouco provável que o cenário atual se mantenha nos próximos anos e o mais certo é que a Euribor suba. Nesse caso, o cupão semestral da OTRV irá subir, gerando um aumento da procura e da cotação.

 

Num cenário bastante otimista, em que a Euribor sobe 0,2% por semestre, obtém um rendimento anual líquido de 1,6%, mantendo a OTRV até ao final, ou seja, o rendimento mínimo dos CTPM. Assim, apenas será um bom investimento se as taxas Euribor subirem mais do que isso e tiver um montante elevado para investir (acima de 5 mil euros). A Euribor teria de subir 0,3% por semestre para que as OTRV proporcionassem uma TAEL de 2%.

 

Para montantes inferiores a 5 mil euros, os CTPM são mais interessantes devido à ausência de custos.

 

Leia mais: OTRV Abril 2022: nova emissão do Estado rende 1,4%


Avaliação a pedido

Analisamos o seu produto financeiro

a minha carteira

Teste as suas estratégias de investimento
Criar  

Conteúdo reservado para subscritores X

Vantagens exclusivas

  • Conselhos isentos
  • Avaliação de produtos financeiros
  • Carteiras de ações e de fundos

"Sigo os conselhos da Proteste Investe e, este ano, estou a ter uma rentabilidade de 5% na minha carteira de investimento."