Artigo

Telexfree: lesados podem recuperar dinheiro

Há 2 anos - quarta-feira, 14 de setembro de 2016
Os lesados da Telexfree, um dos maiores esquemas em pirâmide de sempre, poderão agora reclamar on-line. Recomendamos vivamente que o façam pois poderão recuperar o dinheiro investido.

Foi criado recentemente um site onde os lesados da Telexfree podem apresentar as suas reclamações pelos prejuízos sofridos (“ePOC” – electronic proof of claim). O endereço é telexfreeclaims.com, e recomendamos vivamente aos lesados que apresentem a sua reclamação. O prazo limite é 26 de setembro.

 

Fomos contactados por alguns lesados a quem o comunicado (que divulga a criação do site) levantou algumas suspeitas, dado estar em português do Brasil com algumas deficiências de tradução. Mas ao que apurámos é de facto legítimo, tendo sido divulgado em inglês, espanhol e numa tradução portuguesa, infelizmente pouco conseguida.

 

O valor a recuperar dependerá unicamente do valor investido no esquema, deduzido dos valores recebidos. O rendimento (fictício) acumulado nas contas Telexfree não será considerado.

 

O primeiro passo é criar uma conta neste portal. De seguida, os lesados terão de fornecer os dados de login que usaram na plataforma da Telexfree. O sistema tentará depois fazer corresponder a informação às contas na base de dados da Telexfree.

 

Um dos maiores esquemas em pirâmide de sempre

A PROTESTE INVESTE denunciou, em 2013, o esquema insustentável da Telexfree. Investigações posteriores do Departamento da Justiça dos Estados Unidos vieram confirmar as nossas suspeitas, ao revelar que o dinheiro relativo à venda de produtos VOIP (o alegado negócio da Telexfree) representava uma parte ínfima das receitas.

 

Em Portugal, a Telexfree esteve particularmente ativa na ilha da Madeira. Vários madeirenses estão entre os que mais lucraram com o esquema, sendo agora visados pela justiça americana, que pretende recuperar estes ganhos ilícitos.

 

Melhor legislação precisa-se

Felizmente para os lesados, as autoridades dos Estados Unidos atuaram de forma decisiva: primeiro ao travar o esquema e agora a tentar recuperar os ganhos ilícitos de quem o promoveu e a devolvê-los aos burlados.

 

Infelizmente o mesmo não se pode dizer das entidades oficiais portuguesas, mesmo quando o esquema tem uma alta visibilidade, como era o caso da Telexfree.

 

É necessário que o legislador confira à Polícia Judiciária e aos tribunais melhores e mais céleres instrumentos para deter estes esquemas numa fase inicial, antes que se multiplique o número de vítimas, e para recuperar os valores entregues aos promotores da pirâmide.

Partilhe este artigo