Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos. A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pela DECO PROTESTE. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização. Ao utilizar o nosso website você aceita desta Política e consentimento para o uso de cookies. Você pode alterar as configurações ou obter mais informações em aqui.

Água: um recurso essencial para todos

09 mar 2018

A DECO Ribatejo e Oeste pretende sensibilizar os consumidores para a necessidade de adotarem uma atitude mais responsável no uso da água potável, um bem cada vez mais escasso. Portugal está a atravessar um período de seca extrema, sendo a nossa região uma das mais afetadas, já que a quantidade de água armazenada, em fevereiro, na bacia hidrográfica do rio Tejo se encontra a 53,9%, ou seja, com um nível muito baixo de água.

Por esta razão, e apesar de nos últimos dias ter chovido em toda o território, urge que todos os consumidores façam um esforço de racionalização do consumo de água, adotando medidas para o uso eficiente deste recurso em pequenos gestos do dia-a-dia.

 

A utilização racional de água pode contribuir para minimizar os riscos de escassez hídrica e para melhorar as condições ambientais

 

Apresentamos algumas recomendações e sugestões:

  •  Use as máquinas de lavar roupa e loiça só quando estiverem cheias;
  • Instale redutores de caudal nas suas torneiras e autoclismo;
  •  Reaproveite a água usada sempre que possível, por exemplo na lavagem de espaços exteriores;
  • Feche a torneira ou o chuveiro quando não está a precisar dela e não se esqueça de a fechar ao lavar os dentes.
  • Altere ou ajuste os seus hábitos e a redução de consumo será significativa, sobretudo se envolver toda família nesta mudança de comportamentos. Pequenas mudanças podem traduzir-se em grandes poupanças, tanto no nosso planeta como na fatura mensal deste serviço público.

 

A DECO Ribatejo e Oeste encontra-se atenta à situação e defende que o Tejo necessita de acompanhamento e atenção por parte das entidades competentes, para que se encontrem formas de, em conjunto, resolver os problemas ambientais que o afetam.