Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos. A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pela DECO PROTESTE. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização. Ao utilizar o nosso website você aceita desta Política e consentimento para o uso de cookies. Você pode alterar as configurações ou obter mais informações em aqui.

Segurança de produtos e serviços

Puzzles em espuma com químicos perigosos

23 set 2009
A DECO PROTESTE testou 8 puzzles-tapete e detectou solventes irritantes em todos. Sete acusaram formamida, substância proibida pela nova directiva europeia.

Apenas o Song Jian Eva Puzzle Mat estava isento de formamida, segundo a edição de Outubro da TESTE SAÚDE. Esta substância, usada para reduzir maus odores, além de ser irritante, está classificada como “tóxica para a reprodução”:durante a gravidez, por exemplo, pode atrasar o desenvolvimento do feto e causar aborto. Inalada em grande quantidade, pode exigir cuidados médicos.

As análises revelaram amoníaco e outros solventes agressivos para a pele, olhos e mucosas das vias respiratórias. Apesar de menos perigosos do que a formamida, não deveriam ser usados em produtos destinados a bebés e crianças de tenra idade, mais sensíveis aos tóxicos.

Os puzzles com mais solventes foram testados de novo duas semanas após a abertura da embalagem, para verificar a evaporação. A quantidade de químicos reduziu de forma significativa. Por isso, os pais devem arejar estes produtos durante alguns dias, antes de oferecê-los às crianças.

A mesma investigação em Espanha, Bélgica e Itália revelou problemas idênticos: em 26 produtos, apenas o espanhol Eureka Kids deu provas de segurança, sem nenhuma das substâncias pesquisadas.

A DECO já enviou os resultados para a Autoridade de Segurança Alimentar e Económica, Comissão de Segurança de Bens e Serviços e Direcção-Geral do Consumidor.
Pediu a remoção imediata dos produtos com formamida, que será proibida em brinquedos e outros produtos de puericultura a partir de 2011, quando entrar em vigor a nova directiva. “As crianças não podem esperar”, reclama a TESTE SAÚDE.

A DECO defende a transposição rápida da directiva e rigor na fiscalização dos brinquedos: as autoridades devem controlar a composição química, em particular os componentes susceptíveis de ameaçar a saúde.