Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos. A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pela DECO PROTESTE. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização. Ao utilizar o nosso website você aceita desta Política e consentimento para o uso de cookies. Você pode alterar as configurações ou obter mais informações em aqui.

Segurança de produtos e serviços

Termoventiladores: e agora como é que protegemos os consumidores?

27 out 2016

O nosso teste a termoventiladores revelou o perigo de alguns modelos para os consumidores - cinco em seis falharam os testes de segurança elétrica. Os convetores e os três aparelhos de chão que voltámos a testar, e cuja perigosidade já tínhamos denunciado em 2015, ainda se encontram à venda no mercado.

O chumbo repetido, por razões de segurança, de alguns dos aparelhos que analisámos em laboratório, bem como a perigosidade revelada por alguns termoventiladores, suscita algumas questões:

1. Que conselhos podemos dar aos consumidores?

2. Que medidas tomaram as autoridades responsáveis pelo controlo e fiscalização do mercado, no caso a Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE), após as nossas denúncias iniciais (2015)?

3. Que solução para o problema?

 

Os nossos conselhos são muito claros: os consumidores que já compraram os termoventiladores perigosos não devem utilizá-los; quem está a pensar comprá-los, deve optar por outros modelos.

 

Passado um ano sobre a nossa primeira denúncia, foi com alguma surpresa que ainda encontrámos à venda modelos cuja retirada de mercado tínhamos pedido à ASAE. E por se tratar de um problema de segurança, aguardamos que esta nova denúncia produza efeitos.

 

Por fim, estamos a tentar encontrar uma solução para os consumidores que possa passar pela substituição dos aparelhos perigosos. Temos em curso uma série de contactos institucionais com os distribuidores dos produtos perigosos, com o objetivo de viabilizar uma solução que garanta a segurança dos consumidores.

 

Acreditamos na disponibilidade e recetividade dos distribuidores para cooperarem na busca de uma solução, que servirá os interesses dos consumidores.