Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos. A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pela DECO PROTESTE. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização. Ao utilizar o nosso website você aceita desta Política e consentimento para o uso de cookies. Você pode alterar as configurações ou obter mais informações em aqui.

Segurança de produtos e serviços

Pequenos aparelhos

01 out 2013

Segurança em causa

Micro-ondas com grill eliminados - mais segurança à vista

 

  • Os limites máximos admissíveis de temperaturas de superfície, definidos na nova norma de segurança, vão ao encontro das nossas reivindicações e dos critérios que usamos há mais de uma década nos testes de segurança térmica dos micro-ondas.
  • Congratulamo-nos com esta obrigatoriedade de respeitar os limites. Contudo, refutamos uma cláusula que permite que a temperatura máxima admissível seja o dobro, caso os equipamentos apresentem um aviso gravado ou colado de "superfície quente". A definição de temperaturas visa obrigar os fabricantes a prestarem mais atenção à segurança térmica. Mas aquela cláusula dá azo a que os fabricantes optem por colocar o aviso, em vez de melhorarem os equipamentos. Este aviso não é suficiente para garantir a segurança do utilizador, sobretudo de crianças. Como demonstra o teste, muitos aparelhos não chegam a atingir as temperaturas máximas, pelo que não é demais pedir aos restantes para fazerem um esforço neste sentido.
  • Na segurança elétrica, temos notado uma franca melhoria ao longo do tempo. Ao contrário de testes anteriores, não detetámos partes ativas acessíveis, com risco de eletrocussão, nem fugas de radiação acima de níveis admissíveis. Urge agora que os fabricantes atuem no sentido de corrigir os modelos que sobreaquecem.