Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos. A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pela DECO PROTESTE. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização. Ao utilizar o nosso website você aceita desta Política e consentimento para o uso de cookies. Você pode alterar as configurações ou obter mais informações em aqui.

Banca

Abuso na cobrança das comissões bancárias tem de ser travado

01 fev 2018

A Caixa Geral de Depósitos, juntando-se a outros bancos, voltou a anunciar o aumento das suas comissões, contribuindo com mais um episódio para o cerco que a banca está a fazer aos seus clientes.

Depois de os portugueses já terem suportado custos de milhares de milhões de euros no salvamento da banca, ainda entregam, através de todas as comissões (muitas delas injustificadas) que são obrigados a pagar – mais cinco milhões de euros por dia, cerca de 150 milhões por mês ou quase dois mil milhões de euros por ano

A DECO exige que o Governo e a Assembleia da República impeçam a continuidade desta atuação, que considera abusiva – as comissões só devem ser cobradas quando o banco presta um serviço efetivo ao seu cliente. Ora, este não é o caso das comissões de manutenção de conta ou do processamento das prestações relativas ao crédito.

Para exigir uma atuação do Governo ou da Assembleia da República, a DECO relança a sua petição contra a cobrança de comissões bancárias injustificadas –www.comissoesfora.pt –, de modo a que os portugueses manifestem a sua indignação e exijam que a banca seja obrigada a cumprir a lei.