Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos. A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pela DECO PROTESTE. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização. Ao utilizar o nosso website você aceita desta Política e consentimento para o uso de cookies. Você pode alterar as configurações ou obter mais informações em aqui.

Serviços públicos essenciais

O (ob)escuro processo da mudança de comercializador de energia

13 ago 2015
A carregar

Seis mil consumidores.

Milhares de famílias que, um dia, tentaram mudar de comercializador de energia (eletricidade e gás) e acabaram por ter de pedir a nossa intervenção. Desde o início do ano, a DECO já foi contactada por mais de seis mil consumidores que pretendiam esclarecimentos sobre o processo.

Milhares de portugueses que estão a enfrentar diversos obstáculos num processo que deveria ser simples, ainda para mais, quando, desde 1 de janeiro de 2013, os novos contratos de luz e gás têm de ser feitos no mercado livre.

Por alguma razão a data de limite para todos os consumidores estarem, obrigatoriamente, em mercado livre foi alterada para 31 de Dezembro de 2017, quando inicialmente era no final de 2015.

Mas mudar de comercializador em Portugal, num mercado liberalizado, parece ser encarado pelos operadores como uma perigosa excentricidade. E então começam os problemas para os consumidores: dupla faturação, falta de informação, tempo excessivo para a efetivação da mudança, práticas comerciais desleais.

Os problemas são tantos e tão diversos que entendemos que exigiam a nossa intervenção em mais larga escala.

Mercado livre na escolha dos operadores e livre de problemas.

Mudar de operador de energia SIM! Mas sem apagar ou  desligar os seus direitos!