Notícias

Compras ao domicílio: falhas na conservação

26 setembro 2014

26 setembro 2014

Horários pouco adaptados às necessidades do consumidor e falta de cuidado com a conservação dos alimentos são as principais falhas das 30 compras que pedimos para entregar em casa.

Início

Dos 30 serviços que contratámos para nos entregarem as compras em casa, 11 mereceram nota negativa. A falta de cuidado com a conservação dos produtos, sobretudo dos frescos e dos congelados, é uma falha flagrante nas encomendas de oito lojas. Este é um problema preocupante, dado que pode comprometer a qualidade final dos alimentos. As lojas devem garantir que a cadeia de frio não é quebrada e que as embalagens se mantêm intactas até chegarem a casa dos clientes. 

Outro problema que enfrentámos: os horários de entrega podem obrigar a várias horas de espera ou são desajustados face às necessidades dos consumidores. Se o objetivo é facilitar a vida, há que adaptar o serviço.

Nas compras à distância, deparámos com falhas específicas destas modalidades. As mais graves prendem-se com o procedimento das lojas quando há produtos em falta. Estas deveriam adotar um sistema que evitasse a encomenda de produtos esgotados e, no caso do telefone, que indicasse o preço de cada um. Caso o produto esgote após a realização da encomenda e o consumidor não tenha dado instruções sobre o procedimento a seguir, o mais correto é contactarem o cliente, para saberem o que pretende fazer. Desde modo, evita-se a entrega de produtos não são desejados ou a falta de resposta às necessidades do consumidor. 

Face aos dois estudos idênticos que realizámos, em 2005 e 2010, lamentamos não notar uma clara evolução positiva. Estes serviços devem adaptar-se às necessidades dos clientes e garantir o máximo cuidado com os produtos. Quanto mais eficazes, mais populares se podem tornar.


Imprimir Enviar por e-mail