Notícias

Sites de produtos usados com bons negócios

10 maio 2017
Sites de produtos usados

10 maio 2017
Dos 30 anúncios publicados, vendemos 10 artigos em 20 dias. O OLX e o Custo Justo foram os sites com mais visualizações. Desconfie de produtos a preços pouco credíveis, como telemóveis novos por uma dezena de euros.

Início

Dos 30 produtos que anunciámos, conseguimos vender 10: quatro no olx.pt, três no custojusto.pt e mais um em cada uma das restantes plataformas. Uma semana após a inserção dos anúncios (com preço 40% inferior ao de compra), na falta de comprador, baixámos o preço em 70 por cento. A estratégia resultou.

Três quartos dos consumidores já compraram produtos em segunda mão e cerca de metade puseram artigos à venda, revelou o nosso inquérito sobre consumo colaborativo em 2015. Na maioria dos casos, recorrem a sites de classificados ou aplicações de telemóvel para venda (99%) e compra (79%). Livros, roupa e produtos eletrónicos estavam no topo dos mais desejados.

Os serviços de classificados são uma oportunidade para se desfazer de objetos que enchem os armários. Para os compradores também são interessantes, pois descobrem produtos ainda em bom estado por um bom preço. Todos ganham, desde que estejam atentos para evitar fraudes.

Vendemos um terço dos artigos anunciados

O processo para criar anúncios é simples, mas exige trabalho de preparação. Leia os termos e condições do serviço. As plataformas privilegiam o contacto por formulário e apenas algumas disponibilizam e-mail. Incluem também uma secção com questões frequentes (FAQs).

Todos dizem não se responsabilizar por fraude ou conflito entre utilizadores, mas, com exceção do segunda-mao.net, apresentam conselhos. O grandemercado.pt incita, e bem, a denunciar fraudes à polícia e ao próprio portal.

Depois de se registar, escolha a categoria (roupa e acessórios, eletrónica, artigos para bebé, etc.), um título atrativo, além da descrição tão detalhada quanto possível do produto. Insira uma ou várias fotos a dar conta do estado do artigo e defina um preço. Algumas plataformas incluem a opção “licitar”, para quem opte por leilões (coisas.com e grandemercado.pt). Todas exigem que se registe com os seus dados. Caso não pretenda a transmissão dos dados pessoais para fins de marketing e publicidade de terceiros ou do serviço, deve solicitá-lo.

A publicação de um anúncio simples é gratuita. Mas pode pagar uma quantia para lhe dar algum destaque e aumentar a probabilidade de conseguir vender (colocando-o no topo da lista de anúncios, numa caixa, etc.). Pode ser interessante pagar um destaque se, ao fim de uma semana, ainda não tiver vendido o produto. O coisas.com cobra uma comissão de 5,5% sobre cada venda.

O melhor da experiência

  • Não foram solicitados dados de registo abusivos.
  • É fácil inserir o anúncio.
  • O anúncio pode não ficar automaticamente publicado. Os vendedores estiveram atentos à caixa de correio para validar o anúncio e logo publicar no site.
  • Todos os anúncios foram publicados de acordo com o que tinha sido definido.
  • O preço e o tipo de negócio (fixo e/ou leilão) são totalmente definidos pelo vendedor.
  • Foi possível publicitar as preferências sobre o modo de entrega do produto.
  • Todos os anúncios foram apagados depois de terem sido retirados pelo vendedor.

O pior da experiência

  • A forma de contacto preferencial com as plataformas é restrita. Quase sempre é apenas possível através de formulário na página.
  • Para ser excluído de ações de marketing e publicidade, é preciso formalizar o pedido à plataforma.
  • O sistema de avaliação dos utilizadores apenas é disponibilizado por uma plataforma.