Notícias

Produtos perigosos: a lista dos que chumbaram na segurança

03 julho 2017
Produtos perigosos

03 julho 2017
Descubra os produtos perigosos que chumbam nos testes da DECO PROTESTE numa página acessível a todos os consumidores.

Todos os anos, a DECO PROTESTE testa a segurança de muitos produtos à venda no mercado, e há alguns que chumbam. Num estudo que realizámos, os consumidores pediram-nos para reunir, numa só página, toda a informação sobre os produtos perigosos que detetámos em laboratório. Como existimos para lhes facilitar a vida, criámos a página Produtos perigosos. De momento, são 28 modelos chumbados, pertencentes a sete tipos de produtos: berbequins sem fio, cadeiras auto, fornos encastráveis, fritadeiras elétricas, micro-ondas, salamandras a pellets e termoventiladores.

A página dos Produtos perigosos estará em atualização constante. Sempre que um produto chumbe nos testes da DECO PROTESTE por motivos de segurança, é incluído na página. Além da listagem, o consumidor vai poder acompanhar as novidades em relação aos produtos, como as tentativas das marcas para resolverem o problema, como aconteceu, por exemplo, com o termoventilador da Orima ou a cadeira auto Optia e Privia.

Quando um produto chumba num teste, avisamos o Rappex (sistema europeu que reúne informação sobre os produtos perigosos) e o produto passa a ser etiquetado como “perigoso” nos nossos testes, podendo as características ser consultadas no site por qualquer pessoa.

Alerta da Comissão Europeia

Um relatório da Comissão Europeia revela que, em 2016, o sistema de alerta rápido para produtos perigosos foi utilizado de forma mais ativa pelas autoridades nacionais, mas há cada vez mais produtos vendidos pela internet. Por isso, foi reforçada a colaboração com plataformas de venda online, como a Amazon, o eBay e a Alibaba. O objetivo é retirar do mercado, de forma mais rápida, os produtos que ponham em causa a segurança dos consumidores ou que não estejam em conformidade com as normas de segurança da União Europeia.

Dados da Comissão Europeia indicam que, no ano passado, os brinquedos foram a categoria de produto com o maior número de notificações, seguidos pelos veículos a motor e pelo vestuário, têxteis e artigos de moda. O risco de lesões foi o mais notificado, seguido do risco químico. A maior parte dos produtos perigosos notificados teve origem fora da União Europeia (53% eram provenientes da China).


Imprimir Enviar por e-mail