Notícias

Fidelidade recusa indemnizar prejuízos de casa assaltada

03 março 2017
Fidelidade recusa indemnizar prejuízos de casa assaltada

03 março 2017
A casa de Manuel Ligeiro foi assaltada. O nosso associado chamou a polícia e acionou o seguro multirriscos-habitação. A apólice incluía a cobertura de furto e roubo, mas a Fidelidade recusou assumir os prejuízos.

O relatório do perito avaliou em € 4 339 os bens em ouro e prata furtados. Quando a resposta da Fidelidade chegou, não era a que Manuel esperava: a seguradora recusava pagar a indemnização, pois “as circunstâncias em que ocorreu o sinistro não configuravam nenhuma das condições contratualmente previstas para o acionamento da cobertura de furto ou roubo”.

Inconformado com a decisão, Manuel pediu esclarecimentos à Fidelidade. A resposta da seguradora reiterava o encerramento do caso sem pagamento da indemnização.

Como o processo ainda estava sob investigação policial, Manuel aguardou o desfecho para tomar uma medida. O processo acabou arquivado e Manuel pediu a nossa intervenção. Após o nosso contacto, a Fidelidade reanalisou o processo e pagou os prejuízos na totalidade. 

As situações de furto ou roubo estão definidas nas apólices de seguro e excluem as situações de fraude, em que o ato é praticado com a conivência dos lesados ou de quem tenha acesso ao imóvel.

No caso de Manuel, como as autoridades não apurararam a forma como os ladrões entraram na casa, a seguradora começou por recusar cobrir os prejuízos. Mas esse argumento não é suficiente para perder o direito à indemnização. Apesar do desfecho favorável, lamentamos que só após a nossa intervenção a seguradora tenha cumprido as suas obrigações contratuais.

Se tiver um conflito de consumo com uma empresa ou entidade, apresente a queixa na nossa plataforma Reclamar. Poderá encontrar casos semelhantes que ajudem a resolver a situação. Também é possível pedir a ajuda dos nossos especialistas.