Notícias

Estudo de supermercados dá 46 cabazes para famílias

Entregámos mais de uma tonelada de alimentos, num total de 46 cabazes para a ceia e o almoço de Natal, a famílias carenciadas do Porto e de Braga.

  • Dossiê técnico
  • Susana Pereira
  • Texto
  • Nuno César
19 dezembro 2019
  • Dossiê técnico
  • Susana Pereira
  • Texto
  • Nuno César
Doação de alimentos no Porto.

José Pedro Tomaz

Segunda-feira, 2 de dezembro. Pouco falta para as oito da manhã e uma equipa da DECO PROTESTE já se faz à estrada. Destino: Braga. Missão: entregar dez cabazes natalícios a instituições da rede social. Objetivo: tornar mais risonho o Natal de dez famílias carenciadas daquele distrito.

Esta operação começou com um estudo sobre os supermercados do Porto e de Braga onde sai mais barato comprar produtos para a ceia e o almoço de Natal. Para tal, foram adquiridos 46 cabazes e decidimos doá-los a famílias carenciadas, através de instituições de solidariedade social daqueles dois distritos.

Ana Guerreiro, que tem a cargo a responsabilidade social da DECO PROTESTE, acompanhou a missão no terreno. A 30 de novembro, esteve presente na entrega dos primeiros 36 cabazes ao Centro de Apoio ao Sem-Abrigo (CASA) – cujas equipas foram distribuí-los a 36 famílias do distrito – e, dois dias depois, foi a Braga para formalizar a doação dos restantes dez cabazes a dez instituições, numa cerimónia que teve lugar no salão nobre da autarquia. 

Doámos 10 cabazes de Natal a 10 instituições em Braga. 
Doámos 10 cabazes de Natal a 10 instituições em Braga.

Trata-se de uma doação de mais de uma tonelada de alimentos, num valor superior a cinco mil euros. E não foi a primeira. Desde 2015 que a DECO PROTESTE apoia causas sociais. “Em cinco anos, já apoiámos mais de 60 entidades públicas e privadas, de norte a sul do país, com produtos que provêm dos nossos estudos e testes, desde bens perecíveis a equipamentos”, vai explicando Ana Guerreiro, durante a viagem. 

“Apoiámos o IPO de Lisboa e do Porto com aparelhagens e leitores de DVD para os quartos e zonas comuns; ao Centro de Paralisia Cerebral de Beja demos aparelhos de ar condicionado, que permitiram inaugurar uma sala de fisioterapia, graças ao conforto proporcionado pelos equipamentos; oferecemos gravadores de som à associação Coração Amarelo, que permitem aos voluntários gravar uma memória ou estória para os idosos ouvirem quando eles não estão presentes…”, exemplifica Ana Guerreiro, sublinhando que, antes de cada doação, é feita uma pesquisa e uma análise exaustiva das instituições cujos projetos podem beneficiar desses artigos.

Família de refugiados recebeu um dos cabazes

Desta vez, com o Natal à porta, decidiu-se entregar todos os alimentos comprados no âmbito daquele estudo a quem mais precisa. 

Ao início da tarde de 2 de dezembro, estava finalmente concluída a compra dos últimos cabazes. No salão nobre do município de Braga, foram chamados, um a um, os representantes de oito instituições que integram a rede de apoio alimentar de Braga (Cruz Vermelha Portuguesa, Cáritas, Centro Cultural e Social de Santo Adrião, ASCREDNO, Santa Casa da Misericórdia, Centro Social da Paróquia de Ferreiros, Casa do Povo de Tadim e Centro Social de Cunha), além do centro distrital da Segurança Social de Braga (no âmbito do atendimento a refugiados) e da câmara municipal (no âmbito do gabinete de apoio social).

“Esta doação representa uma mais-valia. Estamos agradecidos por nos terem incluído no rol de parceiros”, conta o presidente da Câmara, Ricardo Rio, acrescentando que, atualmente, são apoiadas cerca de 1500 pessoas no âmbito da rede alimentar de Braga. 

O presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, participou na cerimónia de doação dos alimentos. 
O presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, participou na cerimónia de doação dos alimentos.

Mas o apoio que o município presta através da sua rede social, é mais abrangente e já chegou, inclusive, a cerca de 50 refugiados e respetivas famílias – aliás, um dos destinatários dos dez cabazes foi precisamente uma família de refugiados, apoiada pela Segurança Social

A tarde começava a cair quando foram entregues, um a um, todos os cabazes. “O que há aí de queijos? E manteiga?”, pergunta um dos elementos da equipa da DECO PROTESTE. Num ambiente de grande azáfama, uns vão transferindo o material para os sacos de plástico, enquanto outros vão conferindo, um a um, todos os produtos que integram o cabaz – são dois a três sacos recheados para cada instituição.

Primeiro passo para outros projetos

A delegação de Braga da Cruz Vermelha, por exemplo, entregará o cabaz a um homem, de 31 anos, com estatuto de proteção subsidiária – que não tem família em Portugal e que vem acompanhando desde dezembro de 2017, ao abrigo do Programa de Acolhimento/Requerente de Asilo, em questões legais relacionadas com a residência e nos domínios da integração profissional, da aprendizagem da língua portuguesa, e da habitação e alimentação. 

“Este cabaz tem produtos que não estão contemplados noutros apoios alimentares, nomeadamente o bacalhau, o polvo e outras iguarias da época natalícia”, sublinha Nuno Rodrigues, responsável pela área de intervenção para a população sem-abrigo da Cruz Vermelha de Braga, considerando “importante” esta iniciativa da DECO PROTESTE, pois “mostra como pode haver uma maior colaboração entre os setores público/privado e social/não social”. E sugere que “pode ser alargada a outras datas, como a Páscoa e os Santos Populares”.

No final da cerimónia, Ana Guerreiro lembrou que esta iniciativa pode representar “o primeiro passo” para um “contacto mais próximo”, no futuro. Por seu turno, o presidente da câmara de Braga deixou esta nota: “A nossa aposta diferenciadora nesta área está relacionada com o empreendedorismo social. Temos apoiado projetos diferenciadores para as diferentes franjas da população, da infância à terceira idade, e criámos inclusive uma incubadora [Human power up], assente em projetos que estimulam a responsabilidade social das empresas.”

Natal para todos: ajudámos quem mais precisa com os cabazes do estudo dos supermercados. 
Natal para todos: ajudámos quem mais precisa com os cabazes do estudo dos supermercados.

 

O conteúdo deste artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais com o consentimento expresso da DECO PROTESTE, com indicação da fonte e ligação para esta página. Ver Termos e Condições.