Notícias

CTT sobe preços do serviço universal

05 abril 2017
CTT sobem preços do serviço universal

05 abril 2017
O correio mais usado pelos consumidores, o normal nacional até 20 gramas, passa de 47 para 50 cêntimos. Nos últimos 4 anos, o preço aumentou mais de 56 por cento.

O correio normal nacional até 20 gramas, um dos serviços mais usado pelos consumidores, foi o que registou a maior subida. O selo passa de 47 para 50 cêntimos, um aumento de 6,4 por cento. Em média, os envios de correspondências no serviço nacional sobem 5,6% para os utilizadores ocasionais, contra apenas 1,2% para quem tem contrato com os CTT (por exemplo, empresas).

Em 4 anos, o selo do correio normal nacional até 20 gramas passou de 32 para 50 cêntimos, um aumento superior a 56 por cento.

O sistema de preços dos serviços que compõem o serviço universal obedece ao princípio da orientação para os custos, cuja aplicação deve ser feita de forma progressiva, de modo a garantir a acessibilidade dos preços e a possibilitar o rebalanceamento gradual do preçário. A DECO reconhece este princípio, mas critica a ausência de dados públicos para fundamentar os aumentos dos preços propostos pelos CTT e aprovados pelo regulador do setor, a ANACOM. Toda a informação relativa às margens é classificada como confidencial, o que impede uma análise objetiva. 

Consumidores pagam mais do que clientes com contrato
Os novos valores, em vigor desde 4 de abril, representam um aumento médio anual de 2,4% no preço dos envios de correspondências, encomendas e correio editorial.

Depois de um aumento médio de 1% em 2016 e 1,2% em 2015, os preços dos envios de correspondências sofrem novo agravamento, desta vez de 3 por cento.

Os aumentos não se fazem sentir com a mesma intensidade em todos os serviços. No correio normal nacional para quem não tem contrato, os preços subiram, em média, 5,5 por cento. Valor que contrasta com o aumento de apenas 2,1% para os clientes com contrato. 

CTT - Evolução dos preços (€)
Ano Correio normal* Correio azul*
2005 0,30 0,45
2006 0,30 0,45
2007 0,30 0,45
2008 0,31 0,47
2009 0,32 0,47
2010 0,32 0,47
2011 0,32 0,47
2012 0,32 0,47
2013 (1 de abril) 0,36 0,50
2013 (1 de novembro) 0,40 0,50
2014 0,42 0,50
 2015 0,45 0,55
 2016 0,47 0,58
 2017  0,50  0,63
* Nacional, até 20 gramas 

 

No serviço nacional, o correio verde é o mais castigado: o preço para os consumidores aumenta 7,9% e para quem tem contrato sobe 7,4 por cento.

Já nas correspondências internacionais, os preços sobem, em média, 5% para os consumidores e 3,8% para os utilizadores contratuais. As encomendas internacionais não sofrem alterações, mas no serviço nacional os preços agravam uma média de 7 por cento.


Imprimir Enviar por e-mail