Notícias

Consumidores desprotegidos com novas regras das promoções

Nova lei das reduções de preços continua a deixar consumidores expostos às falsas promoções. Na investigação aos preços de centenas de produtos à venda na Auchan, Rádio Popular e Worten, durante a black friday, encontrámos vários exemplos de descontos fictícios.

14 dezembro 2021
Percentagens de desconto na Black Friday

iStock

Os descontos praticados em saldos e promoções vão passar a ter como referência o preço mais baixo a que os produtos foram vendidos nos 30 dias consecutivos anteriores. A nova legislação sobre as práticas comerciais com redução de preço vem alterar o período mínimo que serve de referência às baixas de preço, que é, atualmente, de 90 dias. O diploma, que resulta da transposição da diretiva europeia dos direitos do consumidor, entra em vigor a 28 de maio de 2022.

Ao limitar o período de referência a 30 dias, esta alteração legislativa cria condições para a realização recorrente de promoções, o que torna difícil apurar se o consumidor está, efetivamente, a beneficiar de reduções de preço.

Ainda assim, o diploma vai ao encontro de uma das nossas reivindicações, ao estabelecer que os dias são contados de forma consecutiva, não excluindo do período de referência os dias em que os produtos tenham estado em saldo ou promoção, ao contrário do que acontece atualmente. Esta regra facilitará a fiscalização e ajudará a combater a manipulação de preços subjacente a anúncios de grandes descontos em produtos sujeitos a reduções de preço sucessivas e intermitentes.

Uma prática recorrente e que comprovámos num estudo levado a cabo a propósito da última black friday. Ao longo dos 90 dias que antecederam esta ação promocional, analisámos o preço de 654 produtos à venda nas lojas online de três das mais importantes cadeias de retalho do país – Auchan, Rádio Popular e Worten.

O que concluímos foi que, em média, em mais de metade dos casos, os preços estiveram mais de dois terços desse período abaixo do preço de referência. Ou seja, as promoções são tão frequentes que a ideia de a black friday ser uma oportunidade imperdível para fazer bons negócios está longe da realidade. 

Falsas promoções na black friday 

Ano após ano, temos monitorizado os preços de milhares de produtos para verificarmos se os descontos anunciados, a pretexto da black friday, são, de facto, bons negócios para os consumidores.

Desta vez, acompanhámos os valores praticados pelos retalhistas Auchan, Rádio Popular e Worten durante 90 dias e verificámos que, em média, em 63% dos casos, estiveram mais de dois terços do tempo abaixo do preço de referência.

Olhando para cada retalhista em particular, na Rádio Popular, 78% dos produtos analisados estiveram abaixo do preço de referência por mais de 60 dias, nos últimos três meses, na Worten, foram 53% dos produtos e, na Auchan, 21%.

Mas há casos em que isso ocorreu ao longo de todo o período analisado. Tanto na Rádio Popular como na Worten, encontrámos artigos que, nos 90 dias que antecederam a black friday, nunca foram vendidos pelo seu preço inicial. Na Auchan, o exemplo mais extremo foi o de um produto que esteve à venda abaixo do preço de referência em mais de 96% dos dias analisados.

Nalguns casos, os produtos já tinham registado um preço mais baixo no passado do que no dia da black friday, a 26 de novembro.

 

Rádio Popular – Ferro com caldeira Philips GC 6833/30 

grafico 2 

O produto esteve abaixo do preço de referência em 100% dos dias. 

 

Worten – Impressora portátil Canon Pixma Tr150 + Bateria

Grafico 3

O produto esteve abaixo do preço de referência em 100% dos dias.

 

Auchan – Televisor Qled Samsung 55" 4k Smart Qe55q80aatxxc

 grafico 1

O produto esteve abaixo do preço de referência em 96% dos dias. 

 

Use o comparador de preços

Para confirmar se os descontos anunciados, seja na black friday ou em qualquer outra altura do ano, são boas oportunidades de compra, use a ferramenta Comparar Preços. Ao indicar o produto que pretende avaliar, o comparador apresenta a evolução do preço praticado pela loja online, nos últimos sete dias, um mês ou três meses.

Através de um sistema de semáforos, a ferramenta indica se o produto já teve um preço mais reduzido do que o agora anunciado:

  • o sinal verde identifica as boas oportunidades de compra;
  • o sinal amarelo sinaliza os casos em que a diferença entre o preço anterior e o atual é baixa;
  • o sinal vermelho identifica os casos em que o produtos já tenham estado à venda por um preço inferior.

Junte-se à maior organização de consumidores portuguesa

A independência da DECO PROTESTE é garantida pela sustentabilidade económica da sua atividade. Manter esta estrutura profissional a funcionar para levar até si um serviço de qualidade exige uma vasta equipa especializada.

Registe-se para conhecer todas as vantagens, sem compromisso. Subscreva a qualquer momento.

Junte-se a nós

 

O conteúdo deste artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais com o consentimento expresso da DECO PROTESTE, com indicação da fonte e ligação para esta página. Ver Termos e Condições.