Notícias

10 resoluções de ano novo

Deixar de fumar, inscrever-se num ginásio, começar a fazer dieta. Diz-lhe alguma coisa? Há muitas decisões que é costume pôr em prática na viragem do ano. Se precisa de ideias novas, inspire-se e entre em 2019 com o pé direito.

  • Texto
  • Alda Mota
27 dezembro 2018
  • Texto
  • Alda Mota
resolucoes ano novo

iStock

Organize o seu tempo

Está na hora de se livrar do “deixa-andar” e do “logo se vê”. Para isso, pode recorrer a uma agenda em papel ou ao próprio telemóvel (pode ver os resultados dos modelos que testámos).

No início de cada semana, faça uma lista das tarefas que deseja realizar. Reveja-a à noite para verificar o que conseguiu concretizar e identificar o que deixou para o dia seguinte. Planeie as tarefas a curto, médio e longo prazo e, se tiver dificuldade em cumpri-las todas ou em conciliá-las com o lazer, reajuste-as. Defina prioridades e aborde as tarefas uma a uma. Comece pelas mais urgentes e, depois, vá para as menos importantes. Uma boa estratégia para lidar com tarefas de grande dimensão é dividi-las noutras mais pequenas e dar por concluído o trabalho em etapas.

Lembre-se: uma pessoa que trabalhe oito horas por dia e que tenha a seu cargo as tarefas domésticas deverá dispor de, pelo menos, duas horas para praticar desporto, ler ou relaxar. Se a isto juntarmos cerca de oito horas de sono, podemos falar numa situação de equilíbrio.

Combata o stresse

Procure manter uma atitude equilibrada na vida, por exemplo, alimentando-se corretamente e praticando uma atividade física ou de lazer que ajude a eliminar a tensão. Habitue-se a identificar as causas do stresse e anote num diário as situações que o desencadeiam. Um registo escrito aumenta a consciência sobre o problema e pode facilitar o processo de alteração dos hábitos. Procure resolver os problemas um de cada vez. Se não estiver a ser bem-sucedido, consulte um psicólogo que possa ajudar a enfrentar a situação.

Ria e seja otimista

Rodeie-se de gente alegre e faça-se acompanhar sempre de um sorriso; sorria ao vizinho, ao vendedor de jornais, ao motorista do autocarro ou ao funcionário ao balcão. Este poderá atendê-lo melhor. Não aconteceu? Não se deixe abalar. 

De um modo geral, provocar alegria à nossa volta deixa-nos de bom humor e torna os outros mais propensos a mostrarem o melhor do seu caráter. Estudos relativos ao ambiente de trabalho mostram como mesmo as pessoas que não estão diretamente envolvidas numa interação positiva, mas que são testemunhas dela, beneficiam desse positivismo.

Crie rotinas de limpeza

Defina os espaços e os objetos que requerem uma limpeza diária, semanal, mensal ou anual. Assim, será mais difícil deixar acumular sujidade e poupará esforços extraordinários. Um ambiente limpo e arrumado contribuirá, e muito, para o seu bem-estar.

Para evitar dores nas costas, nos músculos e nas articulações, preste atenção à postura e aos movimentos enquanto estiver a limpar. Mantenha as costas retas e, em vez de se curvar, habitue-se a dobrar os joelhos. Siga os nossos conselhos para utilizar os produtos de limpeza em segurança.

Não se deixe “queimar” com o trabalho

O nosso inquérito publicado em setembro revelou que três em cada dez portugueses estão em risco de burnout. Para evitar fazer parte desta estatística, adote pequenos bons hábitos, como fazer curtas pausas ao longo do dia. Caso o ambiente seja propício a isso, esforce-se por trabalhar em equipa. Se lhe parece que existe um desequilíbrio entre as tarefas a realizar e os recursos disponíveis, fale com o chefe para que possa, por exemplo, delegar algumas delas. Se pensa que perdeu a boa relação com os colegas, faça os possíveis por a recuperar, mantendo uma postura aberta, mas assertiva. Apoie-se nos relacionamentos pessoais (parceiro, família, amigos, etc.) para pôr de lado as preocupações.
Nem sempre a solução mais radical resolve o problema, mas, se considera que não há nada mais que possa fazer para alterar a situação, avalie a possibilidade de mudar de emprego.

Treine a memória

Aprender uma língua, desenvolver competências informáticas e estudar uma nova disciplina são formas de manter o cérebro ativo. Se tiver disponibilidade, aposte nisso.

Para exercitar a memória, opte por atividades como charadas, sudokus, palavras cruzadas, sopas de letras, desafios de lógica ou cálculos. Ler e fazer puzzles também ajuda.
Quando tiver de memorizar algo, concentre-se nos detalhes e dê, se possível, significado ao que quer lembrar. Se tem problemas de memória, faça listas, use notas adesivas e coloque os objetos sempre nos mesmos sítios. Pode ser útil recorrer a uma agenda e a um calendário para se organizar.

Consuma de forma colaborativa

Os novos modelos de mobilidade são só um exemplo de uma prática que está na moda e diz respeito ao consumo colaborativo. Em 2019, sugerimos-lhe que faça a experiência. Pode começar por algo simples, como vender algo de que já não necessite, alugar o carro a particulares ou propor a outra família o intercâmbio das respetivas casas durante as férias, permitindo que ambas tenham alojamento gratuito noutra cidade. Esta prática dá a possibilidade de conhecer pessoas, evitar resíduos desnecessários e partilhar produtos que não são usados. E o melhor de tudo é que facilita a poupança e até permite lucrar algum dinheiro. Mas tenha em conta que não é o mesmo, por exemplo, partilhar a habitação de forma ocasional e dedicar-se profissionalmente a arrendar casas, já que isso constituiria uma atividade económica e o faria incorrer em obrigações fiscais, como declarar os rendimentos, entre outros requisitos.

Pratique meditação e relaxamento

Se integrar este hábito nas suas manhãs, os resultados vão saltar à vista. Com a prática regular de meditação e relaxamento, aprenderá a detetar quando se encontra num estado de tensão acrescida, podendo realizar exercícios de forma a fazer-lhe face.

Escolha uma divisão calma, desligue o telemóvel, ponha uma música (calma) do seu agrado, mantenha uma boa postura, evite ter o estômago muito cheio ou vazio... e deixe-se levar.

Seja mais assertivo

O primeiro passo para exercer assertividade é entender que os outros não podem adivinhar o que pensamos. Se algo for incómodo, diga-o. No momento de manifestar o seu desconforto, evite repreensões ou juízos de valor e ajuste-se às evidências. Existem cursos e profissionais especializados que podem ajudar a melhorar esta faceta. Mas também pode treiná-la: coloque-se em frente ao espelho ou filme-se simulando diferentes situações. Depois, tente identificar as possíveis melhorias, e ficará surpreendido com aquilo que pode corrigir.

Tenha uma vida sexual plena

Se a sua vida sexual não é satisfatória, está na hora de fazer alguma coisa. Comece por seguir alguns hábitos de vida saudável. Caso algo não continue bem, não se automedique: fale com o médico de família.

Converse com o seu parceiro, se a monotonia ou o aborrecimento vos impedirem de desfrutar plenamente da mesma. Se necessário, consulte um terapeuta sexual.

Conheça a nossa seleção de 52 passos para mudar a sua vida no guia.

 

Este artigo pode ser reproduzido para fins não-comerciais se for indicada a fonte e contiver uma ligação para esta página. Ver Termos e Condições.