Notícias

Restaurantes: preços obrigatórios à entrada e na ementa

02 agosto 2017
Restaurantes: preços obrigatórios à entrada e na ementa

02 agosto 2017

Multiplicam-se as queixas sobre o restaurante Made in Correeiros (antigo Portugal no Prato), que atrai clientes com preços até € 40, mas apresenta contas de € 140 ou mais. Peça sempre o menu e analise os preços antes de escolher.

A DECO recebeu queixas sobre o antigo restaurante Portugal no Prato, agora conhecido como Made in Correeiros. Em causa está a conduta do restaurante, que induz os consumidores em erro. Os empregados abordam os clientes e apresentam verbalmente preços médios por refeição muito abaixo do praticado e estipulado no menu. Segundo Ana Sofia Ferreira, jurista da DECO, há "queixas de consumidores a referir que lhes disseram que pagariam entre € 30 e 40", quando "o preço praticado por aquele prato era 140 euros".

A DECO tentou marcar uma reunião com os proprietários do Portugal no Prato, em maio de 2016, mas sem sucesso. No mesmo mês, fez uma denúncia à ASAE.

Na internet, é fácil encontrar relatos de clientes que se sentem enganados. "Risco imenso de assalto", "comemos a pensar que pagaríamos € 25-30 e a conta era de 220 euros", "enganar os turistas omitindo os preços?", "cobram muito mais do que o descrito na ementa", "escondem os preços, impingem os pratos, depois recebe-se uma conta que dá para dez bons jantares em qualquer outro restaurante de Lisboa". Estas são algumas das queixas deixadas em plataformas que fazem este tipo de avaliação por utilizadores, como é o caso do TripAdvisor ou da Zomato. Chega ainda a ser denunciada a falta de transparência nos preços e a troca de nome: "apresentam uma carta com preços médios de € 15 e depois sugerem pratos que não estão na carta (...). Este esquema pode render 250 euros por uma refeição vulgar"; "o nome que aparece no letreiro é Made In Correeiros (...) para fugirem a má fama que já têm de centenas de reviews de clientes a queixarem-se de serem verdadeiramente roubados". 

Como não ser enganado

Os restaurantes são obrigados a afixar os preços de todos os pratos junto à entrada e no seu interior, de forma a deixar a informação clara para os clientes antes de estes escolherem e consumirem.

Siga as nossas dicas para não ser surpreendido com uma conta astronómica.

  • Mesmo que receba sugestões de pratos, peça o menu e confira os preços antes de escolher.
  • Os restaurantes estão proibidos de recusar a apresentação da ementa. Se isso acontecer, formalize uma queixa no livro de reclamações. Caso lhe seja recusado o livro, envie uma carta ao Turismo de Portugal e à câmara municipal. Pode usar a nossa carta-tipo.
  • Não pediu o menu, mas a conta é diferente do valor anunciado pelo empregado inicialmente? Faça à mesma uma queixa no livro de reclamações. Pode ser uma prática recorrente do restaurante, que a ASAE detetará se as situações forem sempre denunciadas pelos consumidores.
  • Mesmo que não tenha pedido o couvert,  terá de pagar se comer as azeitonas, o pão, o queijo, etc. Nestes casos, consumir faz a diferença. Se não está interessado nas entradas, peça ao empregado para retirá-las da mesa. O mesmo se passa com as bebidas trazidas para encher os copos vazios. Mas se não consumiu as entradas, não é obrigado a pagá-las.